Localização da ICMV

Localização da ICMV

domingo, 31 de janeiro de 2010

Culto de Louvor e Adoração da noite de 31-01-10

É tempo de prontidão

O ministrante da noite, o apóstolo Francisco Sales, explicou que finalizaria os pontos que tem abordado nesses dias para que pudéssemos ser vencedores em Cristo. O tema de hoje é a prontidão, afirmou. Pedindo à Igreja para ler Marcos 2: 13-14

13 E tornou a sair para o mar, e toda a multidão ia ter com ele, e ele os ensinava.
14 E, passando, viu Levi, filho de Alfeu, sentado na recebedoria, e disse-lhe: Segue-me. E, levantando-se, o seguiu.


A prontidão é um sentimento que nos dispõe a qualquer desafio. Ele eclode no profundo do nosso ser. Ela nos dispõe imediatamente a qualquer desafio. É uma característica que aflora na hora certa e vem à tona para se manifestar a qualquer desafio. Você está disposto a enfrentar os desafios de Deus. Mesmo nas nossas lutas cotidianas a gente sente que pode partir para a batalha e se coloca em prontidão.
Neste texto Jesus chama coletores de impostos. A sua responsabilidade é muito grande. Jesus passa na porta da coletoria e chama alguém ali, que o segue prontamente para não ganhar nada. É um sentimento que instiga a ir sem delongas. Aquele coletor aceitou o desafio e nesses últimos dias Jesus está procurando pessoas que estejam prontas para servir a Deus, que sejam capazes de aceitar desafios pela vida, pois o Reino de Deus demanda isso.
Jeremias 40: 4 mostra uma oportunidade que foi perdida pela demora na decisão.
“Agora, pois, eis que te soltei hoje das cadeias que estavam sobre as tuas mãos. Se te apraz vir comigo para babilônia, vem, e eu cuidarei de ti, mas se não te apraz vir comigo para babilônia, deixa de vir. Olha, toda a terra está diante de ti; para onde parecer bom e reto aos teus olhos ir, para ali vai”.
Há certas coisas que devem ser decididas na hora, porque se demora a decidir você pode estar perdendo uma grande oportunidade, ensinou o ministrante. Há demonstrações claras que Deus coloca em nossas mãos e diz para irmos, sem deixar que nenhum sentimento de dúvida nos faça perder a bênção. Foi assim que Jesus procurou pessoas, que tivessem esse sentimento. Diante dos filhos de Zebedeu, Ele convidou: vinde a mim que vos farei pescadores de homens. E eles foram. Isso ainda acontece na Igreja, quando o bispo chama para uma atividade na obra e você fica rodeando, sem decidir. Jesus quer pessoas que se disponham, insistiu o pastor, falando sobre Levi e lembrando que os coletores impostos eram ricos, porque lidavam com o tesouro do Império. Quando Deus lançou a Levi o convite, ele decidiu ali mesmo, sem demora. Quem tem experiência com Deus não tem que ficar claudicando, coxeando para decidir. Entre no desafio, afirmou o pastor, contando um exemplo ocorrido na cidade de Joinvile. Um irmão que ganhava a vida vendendo salgados na rua, teve a palavra de que iria receber uma proposta para ser sócio de um posto de gasolina. Pois dentro de poucos dias um amigo dele, dono de uma rede de postos na região, vindo de Blumenau, com a intenção de abrir uma filial em Joinvile, fez o convite exatamente como havia sido dito. Ele não vacilou, não pediu tempo para pensar ou conversar com alguém. Agora é sócio gerente de um grande posto e só faz salgados para si, não mais para vender. Isso serve para você, também, afirmou o pastor. Se você está esperando algo na sua vida, um emprego, uma mudança de vida, venha para os pés de Jesus, acerte na sua decisão e faca escolhas sábias. Não faça mais escolhas precipitadas e insensatas, sem a iluminação do Espírito. Venha para os pés de Jesus, pois Ele disse em João 15: 5 “Eu sou a videira; vós sois as varas. Quem permanece em mim e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer”.
Jesus tem o poder para abrir a verdadeira porta e pode fechar as portas do engano, da fantasia. Ele quer lhe dar a vitória. Reivindique as promessas de Deus, pois quem as tem é um vencedor.

Culto de Batismo e Família Manancial de 31-01-10


É tempo de quebrantar o coração e perdoar, para chegar à vitória




O ministrante da manhã, o apóstolo Francisco Sales, anunciou que falaria sobre algo muito importante: os três aspectos de nossa luta, como se desenvolve no mundo espiritual e como devemos agir. Com programação e planejamento. Reafirmou a palavra dada anteriormente sobre o fato de esse ano ser um ano de vacas gordas. Para aqueles que querem prestar concursos a dedicação é fundamental. O milagre virá, mas é preciso esforço. Deus não vai deixar de abençoar o que se esforçou para abençoar aquele que não fez a sua parte, que desviou sua atenção para causas que não eram para a glória de Deus.
Os três aspectos da nossa luta no mundo espiritual e físico. Leu com a Igreja Genesis 32: 3- e avisou que oraria com aqueles que se enquadrassem em algum dos aspectos destacados

3 E enviou Jacó mensageiros adiante de si a Esaú, seu irmão, à terra de Seir, território de Edom.
4 E ordenou-lhes, dizendo: Assim direis a meu senhor Esaú: Assim diz Jacó, teu servo: Como peregrino morei com Labão, e me detive lá até agora;
5 E tenho bois e jumentos, ovelhas, e servos e servas; e enviei para o anunciar a meu senhor, para que ache graça em teus olhos.
6 E os mensageiros voltaram a Jacó, dizendo: Fomos a teu irmão Esaú; e também ele vem para encontrar-te, e quatrocentos homens com ele.
7 Então Jacó temeu muito e angustiou-se; e repartiu o povo que com ele estava, e as ovelhas, e as vacas, e os camelos, em dois bandos.
8 Porque dizia: Se Esaú vier a um bando e o ferir, o outro bando escapará.
9 Disse mais Jacó: Deus de meu pai Abraão, e Deus de meu pai Isaque, o SENHOR, que me disseste: Torna-te à tua terra, e a tua parentela, e far-te-ei bem;
10 Menor sou eu que todas as beneficências, e que toda a fidelidade que fizeste ao teu servo; porque com meu cajado passei este Jordão, e agora me tornei em dois bandos.
11 Livra-me, peço-te, da mão de meu irmão, da mão de Esaú; porque eu o temo; porventura não venha, e me fira, e a mãe com os filhos.
12 E tu o disseste: Certamente te farei bem, e farei a tua descendência como a areia do mar, que pela multidão não se pode contar.
13 E passou ali aquela noite; e tomou do que lhe veio à sua mão, um presente para seu irmão Esaú:
14 Duzentas cabras e vinte bodes; duzentas ovelhas e vinte carneiros;
15 Trinta camelas de leite com suas crias, quarenta vacas e dez novilhos; vinte jumentas e dez jumentinhos;
16 E deu-os na mão dos seus servos, cada rebanho à parte, e disse a seus servos: Passai adiante de mim e ponde espaço entre rebanho e rebanho.
17 E ordenou ao primeiro, dizendo: Quando Esaú, meu irmão, te encontrar, e te perguntar, dizendo: De quem és, e para onde vais, e de quem são estes diante de ti?
18 Então dirás: São de teu servo Jacó, presente que envia a meu senhor, a Esaú; e eis que ele mesmo vem também atrás de nós.
19 E ordenou também ao segundo, e ao terceiro, e a todos os que vinham atrás dos rebanhos, dizendo: Conforme a esta mesma palavra falareis a Esaú, quando o achardes.
20 E direis também: Eis que o teu servo Jacó vem atrás de nós. Porque dizia: Eu o aplacarei com o presente, que vai adiante de mim, e depois verei a sua face; porventura ele me aceitará.
21 Assim, passou o presente adiante dele; ele, porém, passou aquela noite no arraial.
22 E levantou-se aquela mesma noite, e tomou as suas duas mulheres, e as suas duas servas, e os seus onze filhos, e passou o vau de Jaboque.
23 E tomou-os e fê-los passar o ribeiro; e fez passar tudo o que tinha.
24 ¶ Jacó, porém, ficou só; e lutou com ele um homem, até que a alva subiu.
25 E vendo este que não prevalecia contra ele, tocou a juntura de sua coxa, e se deslocou a juntura da coxa de Jacó, lutando com ele.
26 E disse: Deixa-me ir, porque já a alva subiu. Porém ele disse: Não te deixarei ir, se não me abençoares.
27 E disse-lhe: Qual é o teu nome? E ele disse: Jacó.
28 Então disse: Não te chamarás mais Jacó, mas Israel; pois como príncipe lutaste com Deus e com os homens, e prevaleceste.
29 E Jacó lhe perguntou, e disse: Dá-me, peço-te, a saber o teu nome. E disse: Por que perguntas pelo meu nome? E abençoou-o ali.
30 E chamou Jacó o nome daquele lugar Peniel, porque dizia: Tenho visto a Deus face a face, e a minha alma foi salva.
31 E saiu-lhe o sol, quando passou a Peniel; e manquejava da sua coxa.
32 Por isso os filhos de Israel não comem o nervo encolhido, que está sobre a juntura da coxa, até o dia de hoje; porquanto tocara a juntura da coxa de Jacó no nervo encolhido.


Primeiro Jacó teve uma desavença com seu irmão por causa da bencão que recebeu no lugar de Esaú. Era um sistema patriarcal e como primogênito bênção seria dele e não sua. Havia uma mágoa ainda não resolvida. É preciso resolver isso. Se você tem alguma mágoa em seu coração, retire-a. Deus quer curá-la para que você possa ser abençoado, ensinou o ministrante. A mágoa retida é como uma ferida que cria casca. Por dentro dói e ainda sangra se cutucada. Mais cedo ou mais tarde ela virá à tona. Quem guarda esse sentimento precisa se liberar. Só assim as bênçãos virão, assegurou o pastor. é muito sério e profundo isso. É preciso perdoar. Abrir mão de direitos e isso significa até abrir mão de nossa dignidade, mexer nas coisas profundas de nossa alma. Sentir-se ferido e ainda ter que perdoar não é fácil, mas necessário, segundo Jesus.
Jacó havia trabalhado duro e queria voltar em paz a sua terra, fez um voto de dar o dizimo de tudo. Pela bênção que recebeu ele seria o sacerdote, mas ainda havia a mágoa, a dor pelo que havia feito ao seu irmão. Ele nunca chegou a reivindicar a herança que lhe cabia, de Abraão e Isaque. Jacó era um homem muito rico, explicou, e estava decidido a levar como presente aquilo que era na verdade o dízimo de tudo que havia recebido por seu trabalho.
Hoje o mundo pensa que pode comprar tudo, emprego, honra, amor. mas não é assim que funciona.
Jacó possuía 57000 cabeças e desse rebanho tirou a décima parte para dar ao seu irmão, que tinha muito mais. Ele entendeu aquela atitude, pois o Espírito Santo de Deus arrancou dele o sentimento de vingança e ele abraçou o irmão.
Os ricos, apesar de tudo que têm, padecem do medo de perder, de ser roubados. Lutamos para conseguir, mas o medo de perder nos paralisa. Jacó não dormiu com medo de perder tudo e preocupou-se com o fato de já estar em idade avançada para começar tudo de novo. Essa sensação também nos acomete. É um dos aspectos de nossa luta. Tememos por insegurança.
Jacó recebeu a visita de um anjo que tomou a forma humana e lutou corporalmente com ele. Lutaram a noite toda, até que o anjo tocou no nervo de sua perna, porque viu a resistência de Jacó. Isso foi necessário para que o Senhor prevalecesse, porque até então Jacó lutou com sua força. Há momentos em que precisamos deixar a nossa força e nos render a Deus. Isso também acontece em nossa casa, que precisamos parar para ouvir a mulher, ensinou, para que nossos planos dêem certo. Esse é outro aspecto que precisa ser visto: deixar Deus agir.
O anjo perguntou a ele o seu nome. Jacó significa enganador.
Jacó não era uma pessoa fácil de se lidar, explicou o ministrante. Era valente, forte. Se lutou com o anjo, imaginem se não lutaria com os pastores. É preciso ser manso. Se você é assim. Se suas amizades são poucas e duram pouco, é preciso abrir mão de sua resistência. Jacó precisou mudar isso e se quebrantar. Seu irmão percebeu nele um homem diferente, meigo, suave, mancando da perna, mostrando fragilidade. Aquela dureza, aquela força bruta havia sido rompida na luta com o anjo. Ele estava diferente, quebrantado. Esaú não queria saber do presente que recebeu do irmão, mas da comunhão e da presença de Jacó. O perdão é o esquecimento total do que fizeram conosco. É não trazer mais à baila aquilo que foi feito. É preciso deixar o Espírito de Deus tratar nosso coração. Um aspecto importante para vencer nas lutas é saber que quem tem promessa de Deus é vencedor. Jacó reivindicou as promessas e foi nessa hora que o anjo apareceu. O segredo para ser vencedor: no momento em que tiver na encruzilhada sentindo a sensação de perda iminente, reivindique as promessas de Deus. Nesse momento exato em que ele reivindicou isso foi atendido. Jesus muda a situação. Deus é fiel em suas promessas e se Ele prometeu você pode reivindicar. E devemos saber reivindicar para recebermos com brevidade, ainda na nossa juventude, para que possamos desfrutar. Compare as promessas de Jesus com as coisas que o diabo lhe diz. O diabo mente, Jesus jamais. Quando o pai da mentira assoprar dúvidas na sua mente, ou usar pessoas para lhe ensinar coisas para desviar do caminho da vitória, reivindique de Deus suas promessas e não saia do lugar da bênção, lute até conquistar. Mas libere perdão, reiterou. Temos que abrir mão das nossas conveniências, quando Jesus muda é para melhor. Observe isso nos seus exemplos próximos, ensinou. Mas a mente precisa estar aberta a mudanças, olhe com olhos de ver de fato, ouça com ouvidos de escutar, sem resistência. A mudança de Deus traz novidades, traz coisas boas, ao passo que a mudança do inimigo só diminui a pessoa que engana.
As coisas de Deus não se explicam com os olhos do mundo, mas com os olhos da fé. As mágoas devem ser colocadas e retiradas do coração. Aquilo que lhe incomoda deve ser dito a quem precisa ouvir. Não deixe ferida em seu coração. Fale, mesmo que isso lhe custe o orgulho, a necessidade de ser mal interpretado. Não se deve deixar nenhuma casca de ferida, para que ela não volte a sangrar de repente. Falar e liberar perdão cura e cicatriza, ensinou o ministrante.
Contando o próprio exemplo, o pastor ensinou à Igreja que, quando Deus quer falar com alguém Ele faz o inusitado acontecer. Ele havia recebido a palavra de que deveria voltar a morar em Florianópolis. Não era a sua vontade, mas pediu a Deus uma confirmação. Colocou o impossível: se fosse sim, ele veria uma vaca com um bezerro passando pelo calçadão. Ele disse isso sabendo que não era permitido nem mesmo cães passando por ali. Mas o inusitado aconteceu: ele chegou na sacada do hotel em que estava hospedado e viu a cena: um rapaz passando com uma vaca Jersey e sua cria, calmamente, sem ser expulso pelo guarda, sem incomodar os passantes. Aquela cena parecia ser comum e não causou estranheza a ninguém. Ele chamou sua esposa e ela confirmou. Era a resposta de Deus. Ele voltaria àquela cidade.
Mas um dia, depois de dois anos ali, estava em casa com a família e reclamou da cidade. Disse que ali nem anjo descia para levar a bênção. Se Daniel levou 21 dias para que o anjo conseguisse chegar até ele trazendo a bênção que Deus já havia despachado, imaginava que naquela cidade ele levaria 21 anos, reclamou. Nesse momento, o telefone tocou e alguém do outro disse que era o Anjo Gabriel que falava. O interlocutor, que dizia ser o anjo estava marcando um encontro com ele na mesa 18 de um conhecido restaurante e que era preciso que fosse. Lá chegando ele reconheceu um amigo pastor, que queria vê-lo fazendo uma brincadeira, mas o que ele não sabia é que naquele exato momento ele havia dito aquelas palavras e Deus usou o trote para dizer a ele que anjos vão até aquele lugar sim.
Isso serviu para mostrar a necessidade de quebrantar seu coração e orar mais pela cidade.
Jacó prevaleceu contra o anjo e prevalecer significa manter a linha, manter o propósito. Ele insistiu e foi quebrantado. Reivindicou do Senhor as promessas e as recebeu, mas, sobretudo, mudou de atitude, deixou de lado a mágoa, a resistência e a própria força, para se dobrar ao Senhor.

sábado, 30 de janeiro de 2010

culto de 30-01-10


É tempo de aceitar a vontade de Deus

O ministrante da noite, o apóstolo Francisco Sales, iniciou sua preleção, afirmando que o que Deus começou a fazer vai ter continuidade e assegurando que hoje será noite de transformação. Muita gente encontra dificuldade de renovar a mente e deixar que o Espírito Santo traga revelações novas, porque todos temos uma luta interna para fazer prevalecer a vontade de Deus, explicou o m8inistrando citando o calvário de Jesus como uma luta também, pois a humanidade de Jesus lutou contra a vontade de Deus. Mas Ele cumpriu a vontade do Pai. Há pessoas sofrendo porque Deus está fazendo uma mudança. Mas se Ele fez é para você colha os frutos, pois a vontade Dele é maior do que a nossa.
O pastor contou à Igreja a experiência difícil que teve de ter que entregar a palavra a um doente terminal de câncer, a quem foi chamado para fazer uma oração. Teria que falar o que Deus disse para falar a ele: que teria apenas vinte e poucas horas de vida. Diante da família teve que passar a notícia da morte e não da esperada cura. Almoçou com o doente e disse a ele para que falasse as últimas palavras à família e ministrasse a Santa Ceia antes de ser levado. Foi doloroso, afirmou, ter que dizer essas palavras difíceis enquanto ele esperava uma oração pela cura. Depois de receber a notícia da morte próxima, ele se curvou diante de Deus em reverência e glorificou a Deus. Os aviões da família seguiram para buscar os que estavam distantes, para que fosse realizado o culto que foi preparado para os da família. Era a santa ceia de comunhão e cada um da família se ajoelhou diante daquele homem para receber a ministração e profetizou na vida de todos. E exatamente após vencer as horas determinadas por Deus, aquele homem entrou em coma e faleceu. Isso é aceitar a vontade de Deus.
Servir a Deus é aceitar a palavra que lhe foi passada. Há pessoas que ainda não quebraram as algemas da escravidão do egoísmo e não aceitam a palavra. Se recebem algo que contraria a sua vontade, preferem se desviar da casa de Deus do que fazer o que Deus, por intermédio de Seus profetas revelaram. Isso não é fazer a perfeita vontade de Deus, mas é manifestação da carne.
O pastor contou também a própria experiência, para que sirva de revelação àqueles que querem casar e não tem certeza. Ele lembrou que o casamento é uma decisão que vai para toda vida, por isso não deve ser feito sem a orientação de Deus. Ele contou que antes de conhecer a sua esposa estava noivo, mas sem perguntar se era a vontade de Deus. Então pediu a Deus que lhe desse a revelação. Nessa noite teve um sonho que lhe mostrou que não era aquilo, acordou angustiado e ponderou sobre a situação. Teria que terminar o compromisso, mas pedia a Deus que a noiva tivesse essa iniciativa porque ele já havia assumido um compromisso. Se era a vontade de Deus, isso aconteceria, pois não perguntou antes a Deus.
A resposta veio como pediu. A própria noiva entregou a aliança, afirmando não estar preparada para acompanhá-lo no ministério. Deus faz quando entregamos a Ele nossa vida. A quem você serve, perguntou à perfeita vontade de Deus, ou ao seu egoísmo? Deus não rebaixa ninguém, só promove, mesmo quando tira você de um lugar e manda a outro. Aceite a vontade dele, exortou o ministrante. Então, continuou, quando viu a sua esposa em uma virgília, teve a revelação de que seria a sua eleita, pois dessa vez ouviu a voz do Senhor e teve a confirmação do Espírito Santo.
Quando aceitamos a vontade de Deus as portas se abrem. O caminho da fé é maravilhoso. Quando andamos nos passos da fé tudo se abre, mas, quando retrocedemos, as portas se fecham. Foi assim, na fuga do povo de Israel, com a abertura do Mar Vermelho. Deus disse: diga a Israel que marche e o povo passou em seco, enquanto o exército de faraó pereceu sob as águas. Esse é o caminho da fé. Tudo acontece e transforma quando damos os primeiros passos da fé. Jesus transforma situações em sua vida. Essa situação de derrota, de que vai perder tudo, do seu lar destruído. Não tenha medo, assegurou o pastor. Toda tristeza, toda decepção e sentimento de impotência irão embora, porque a porta que Jesus abre ninguém pode fechar.
Jesus tem a chave que ninguém toma. Não há limite para pedir. Jesus tem a chave.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Culto da Vitória de 29-01-10





É tempo de planejar e buscar as estratégias de Deus

O ministrante da noite, convidado a entregar a palavra, o apóstolo Francisco Sales, iniciou afirmando que Deus confirma o que Ele fará nesses dias de campanha. Serão dias de mover do Espírito Santo de forma grandiosa.
Para você ser um vencedor, um vitorioso, é preciso de uma estratégia, um planejamento e uma ação, que será aplicada segundo a orientação do Espírito. É preciso ter a visão de Deus, sem a qual nada acontecerá. Se você não teve ainda o Senhor dará.


Lendo, Juizes 7:16, o pastor ensinou a Igreja a procurar as estratégias


16 Então dividiu os trezentos homens em três companhias; e deu-lhes a cada um, nas suas mãos, buzinas, e cântaros vazios, com tochas neles acesas.
17 E disse-lhes: Olhai para mim, e fazei como eu fizer; e eis que, chegando eu à extremidade do arraial, será que, como eu fizer, assim fareis vós.
18 Tocando eu a buzina, eu e todos os que comigo estiverem, então também vós tocareis a buzina ao redor de todo o arraial, e direis: Espada do SENHOR, e de Gideão.
19 Chegou, pois, Gideão, e os cem homens que com ele iam, ao extremo do arraial, ao princípio da vigília da meia noite, havendo sido de pouco trocadas as guardas; então tocaram as buzinas, e quebraram os cântaros, que tinham nas mãos.
20 Assim tocaram as três companhias as buzinas, e quebraram os cântaros; e tinham nas suas mãos esquerdas as tochas acesas, e nas suas mãos direitas as buzinas, para tocarem, e clamaram: Espada do SENHOR, e de Gideão.
21 E conservou-se cada um no seu lugar ao redor do arraial; então todo o exército pôs-se a correr e, gritando, fugiu.
22 Tocando, pois, os trezentos as buzinas, o SENHOR tornou a espada de um contra o outro, e isto em todo o arraial, que fugiu para Zererá, até Bete-Sita, até aos limites de Abel-Meolá, acima de Tabate.
23 Então os homens de Israel, de Naftali, de Aser e de todo o Manassés foram convocados, e perseguiram aos midianitas.
24 Também Gideão enviou mensageiros a todas as montanhas de Efraim, dizendo: Descei ao encontro dos midianitas, e tomai-lhes as águas até Bete-Bara, e também o Jordão. Convocados, pois, todos os homens de Efraim, tomaram-lhes as águas até Bete-Bara e o Jordão.
25 E prenderam a dois príncipes dos midianitas, a Orebe e a Zeebe; e mataram a Orebe na penha de Orebe, e a Zeebe mataram no lagar de Zeebe, e perseguiram aos midianitas; e trouxeram as cabeças de Orebe e de Zeebe a Gideão, além do Jordão.


O inimigo foge quando obedecemos a estratégia de Deus, afirmou o ministrante. Foi assim que fez com Gideão. Dos homens recrutados, somente trezentos foram selecionados. É preciso ficar atento à estratégia. O milagre não brota do nada. O diabo é que tenta agir desse jeito. Ele promete, ensina a usar os espíritos, no candomblé, quando na realidade aquilo não vai acontecer.
Giadeão seguiu a estratégia de Deus, por isso o inimigo fugiu. Ele não pode impedir a sua vitória nesse caso. Não há ninguém que consiga anular o plano de Deus em sua vida. Todos que seguiram a estratégia de Deus foram vitoriosos. O inimigo pode ser mais forte, mais rico, mais poderoso, que Deus anula tudo isso, garantiu o pastor, citando como exemplos as batalhas de Campo Grande e de Humaitá. A obra do Espírito é espontânea, Ele vem no silêncio da noite e fala no seu coração. E o que Ele fala. É com os olhos do espírito que enxergamos verdadeiramente, não com os olhos da carne. Assim não vemos mais o fracasso, mas a vitória.
Há pessoas, entretanto que não querem mudar, preferem continuar a tradição, sem dar espaço para a mudança. Mudar é preciso, ter a mente aberta para receber as novas estratégias do Senhor. Há pessoas que querem viver na mesmice, sua vida não muda, pois para isso é necessário estar com o coração aberto. Em Romanos 12: 2 diz “Não vos conformei com esse século. Transformai-vos pela renovação da sua mente.” Isso serve para os comerciantes e empresários, quer ser seu parceiro em seus empreendimentos.
Jesus quer acabar com a desordem, com a falta de planejamento que há na sua vida. Afirmou o pastor, ensinando a Igreja a ser reorganizar, a se replanejar. Se vai casar, não faça isso de repente, sem planejamento, contabilize tudo. Mude a sua imagem, calcule os pontos que devem ser organizados. Mude seu visual. Sua imagem realça a glória de Deus.
Mude sua forma de ser no seu relacionamento. Muitas pessoas agem como se só os outros devessem mudar. Espera que o outro aja diferente, mas não muda sua conduta. Querem criticar, mas não aceitam ser criticados. É preciso pedir a Deus um novo planejamento. Ele dará se insistirmos. Nada deve ser feito sem planejamento e sem a estratégia de Deus. Mas antes é preciso ter a mente renovada e o coração aberto. A mente é nossa inteligência e nossa burrice, afirmou o ministrante. Se ela não estiver aberta, se você não sabe como lidar com as pessoas, mude de estratégia. Se não está ouvido, atendido em suas solicitações, mude de estratégia. Mas antes, peça ao Senhor. Para você vencer nessa área que está sendo difícil, busque as estratégias de Deus, reafirmou, confirmando que o Senhor fará isso.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Culto de Despertar da Fé de 27-01-10



É tempo de pedir com ousadia

O ministrante da noite, o Bispo Roberto Marques, iniciou sua preleção afirmando que gosta muito de um personagem bíblico chamado Calebe, um dos doze espias enviados a espiar a terra prometida. Não duvide e nem questione o que Deus falar com você, ensinou o bispo. Deus já tinha determinado, não precisava ter ido para ver. Bastava tomar posse. Mas quando se aproximaram, tiveram dúvidas e enviaram espias escolhidos das doze tribos de Israel. Eles votaram afirmando que a terra era boa, mas se assustaram com os gigantes que ali viram. Eles sofriam do espírito de gafanhoto. Mas dois deles não agiram assim. Calebe e Josué não duvidaram, por isso Deus afirmou sobre eles: 13: 30

Enquanto dez disseram: nós não podemos, Calebe e Josué pensaram diferente e creram com submissão e fidelidade ao Senhor. Por isso foram os únicos a entrar na terra prometida. Deus não aceita retroceder. Nem mesmo Moisés recebeu o direito de entrar, porque passou a ordem de Deus. Isso significa que não devemos ficar nem aquém, nem além do que ordena o Senhor. Moisés foi orientado por Deus a dar ordem à pedra, mas devido a sua ira, não apenas deu ordem, mas feriu a pedra e isso desagradou a Deus.
Deus viu em Calebe e em Josué um espírito diferente e, ao contrário daqueles que ficaram no deserto por 40 anos, foram os que entraram na terra. Quando entramos na batalha com a certeza de que Deus já nos deu a vitória, não precisamos questionar, nem temer.


10 E agora eis que o SENHOR me conservou em vida, como disse; quarenta e cinco anos são passados, desde que o SENHOR falou esta palavra a Moisés, andando Israel ainda no deserto; e agora eis que hoje tenho já oitenta e cinco anos;
11 E ainda hoje estou tão forte como no dia em que Moisés me enviou; qual era a minha força então, tal é agora a minha força, tanto para a guerra como para sair e entrar.
12 Agora, pois, dá-me este monte de que o SENHOR falou aquele dia; pois naquele dia tu ouviste que estavam ali os anaquins, e grandes e fortes cidades. Porventura o SENHOR será comigo, para os expulsar, como o SENHOR disse.
13 E Josué o abençoou, e deu a Calebe, filho de Jefoné, a Hebrom em herança.
14 Portanto Hebrom ficou sendo herança de Calebe, filho de Jefoné o quenezeu, até ao dia de
hoje, porquanto perseverara em seguir ao SENHOR Deus de Israel.
15 E antes o nome de Hebrom era Quiriate-Arba, porque Arba foi o maior homem entre os anaquins. E a terra repousou da guerra.

Veja que Calebe tinha espírito de vencedor. Levou 45 anos para receber a promessa, mas deixou de crer e não temeu. Se o Senhor já nos entregou, ninguém pode tirar, reiterou o ministrante. Calebe não retrocedeu, mas sua atitude firme fez com que recebesse a promessa.
Calebe era um homem de espírito diferente, firme e isso ele passou para seus filhos e filhas, explicou o bispo mostrando em Josué 15: 16 essa característica que agradou a Deus.

16 E disse Calebe: Quem ferir a Quiriate-Sefer, e a tomar, lhe darei a minha filha Acsa por mulher.
17 Tomou-a, pois, Otniel, filho de Quenaz, irmão de Calebe; e deu-lhe a sua filha Acsa por mulher.
18 E sucedeu que, vindo ela a ele, o persuadiu que pedisse um campo a seu pai; e ela desceu do seu jumento; então Calebe lhe disse: Que é que tens?
19 E ela disse: Dá-me uma bênção; pois me deste terra seca, dá-me também fontes de águas. Então lhe deu as fontes superiores e as fontes inferiores.


Nessa passagem vemos o temperamento do pai, na filha de Calebe. Não aceitou ir de mãos vazias, mesmo que na época não fosse costume que filhas recebessem herança. Acsa chegou com coragem, intrepidez e ousadia ao pai e pediu o que queria. Esse exemplo serve para nós, ensinou o bispo. Não podemos ter medo de pedir ao Pai, pois Ele nos dará, assim como Calebe deu à filha o que pediu, as fontes inferiores e superiores. Devemos chegar a Deus com ousadia e pedir, com a certeza que Ele nos dará, se o que pedirmos for justo.
Cabebe é um exemplo de pai, pois soube passar aos filhos a visão, o espírito diferente, de conquistar o que é melhor. E Deus nos quer com esse espírito: de conquistador, de empreendedor. O Senhor nos dará na proporção da nossa fé, assegurou o bispo, ensinando à Igreja a ser como Calebe. Mesmo indo na contramão da situação, mesmo sendo minoria, foi firme e ousado para tomar posse e confiar o que lhe havia sido prometido. Nele havia o espírito de perseverança. Quando permanecemos nesse espírito de perseverança de servir ao Senhor, somos abençoados como foi Calebe.
Deus já nos disse: se quiserdes e me ouvirdes, comereis o melhor desta terra. Quando pedimos, devemos pedir o melhor, ensinou o ministrante. Quando pedimos confiantes, levamos o melhor. Calebe deu à filha o melhor, não somente as fontes inferiores, mas as superiores, pois ela não aceitou simplesmente a terra seca. Ela foi ousada e colheu o fruto dessa ousadia. Em Tiago 4:3 está escrito: Pedis, e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites. É preciso aprender a pedir, essa é a lição deste texto. Reivindicar é a questão, sabendo como pedir: com humildade, com o coração sincero, sem arrogância. Aprenda a chegar a Deus, exortou o bispo, pois Ele tem prazer em nos dar o melhor. Se Acsa não tivesse pedido, não teria obtido. É preciso pedir com clareza, com detalhes,
Em João 14:14 Jesus nos ensina: “Se pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei”. Aquilo que pedirmos, da forma como pedirmos receberemos, afirmou o bispo, lembrando o pedido de Salomão, que pediu sabedoria e obteve também as demais coisas, porque ele soube pedir.
O que Deus falou é certo que fará, pois Deus não é homem para mentir, nem filho de homem para se arrepender. O que promete, cumprirá. Mas temos que estar na posição de receber. Daqueles doze, apenas dois receberam, porque perseveraram e não saíram do lugar da bênção, afirmou o bispo, exortando a Igreja a pedir com segurança e intrepidez, com o espírito de Calebe para tomar posse do nosso Hebron.

domingo, 24 de janeiro de 2010

Culto de Louvor e Adoração de 24-01-10


É tempo de mudança de sorte


O ministrante da noite, o Bispo Roberto Marques, iniciou sua preleção afirmando que quer falar à Igreja a respeito de mudança. Deus quer mudar a sua sorte, nesta noite, assegurou o bispo, lendo com a Igreja o Salmos 126:


1 Quando o SENHOR trouxe do cativeiro os que voltaram a Sião, estávamos como os que sonham.
2 Então a nossa boca se encheu de riso e a nossa língua de cântico; então se dizia entre os gentios: Grandes coisas fez o SENHOR a estes.
3 Grandes coisas fez o SENHOR por nós, pelas quais estamos alegres.
4 Traze-nos outra vez, ó SENHOR, do cativeiro, como as correntes das águas no sul.
5 Os que semeiam em lágrimas segarão com alegria.
6 Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos.


O bispo ensinou que Sião representa o povo de Deus e quando o Senhor restaura a sorte de Sião ficamos como quem sonha. Não ficamos angustiados, quando temos um sonho bom, acordamos alegres e é assim que Deus nos quer. Ele quer transformar água em vinho, mudando as circunstâncias. Quem está doente, vai sair curado, que entrou com alguma preocupação vai sair sem ela, porque Deus, Jeová Jireh proverá. Deus quer mudar a sua situação para que fique como os que sonham, assegurou o ministrante, porque Deus não nos quer derrotados. Ele nos quer vencedores, olhando para o alto. Deus vai transformar a perda em ganho, o choro em alegria, garantiu. O que Deus vai fazer vai ser motivo de riso. Essa semana está determinada uma mudança radical em seu viver, quando portas fechadas se abrirão e barreiras serão retiradas. Em nome de Jesus, a bênção será sua e o inimigo não terá poder de tirar essa palavra de vitória. Não deixe satanás roubar o que Deus fará com você esta noite, exortou o bispo, pois foi o Senhor que trouxe você aqui, asseverou. Você não está pela sua vontade, mas pela vontade de Deus, explicou o ministrante. Ele já lhe deu a condição e você não deve cair na dúvida que o diabo tentará lançar em sua mente. Não dê ouvidos a ele. Fixe seus olhos no Senhor Jesus, porque quando você tirar seus olhos do problema e colocá-los na solução, a sua sorte será mudada.
O que Deus fará em sua vida o mundo verá. Essa mudança será tão grande que o mundo notará e poderá afirmar: grande coisa o Senhor fez. O motivo de nossa alegria é saber que nosso nome está inscrito no livro da vida. Ele pode converter um pecador em santo.
O povo estava marcado para ser destruído e Deus mudou a sorte. No livro de Ester isso pode ser comprovado. Aquele que fez a forca, nela foi enforcado, ao mudar a sorte dos servos de Deus.
Deus está movendo ao seu favor essa noite e você está saindo daqui com ela, portanto, não deixe que satanás a retire. As transformações no mundo espiritual já estão acontecendo. O inimigo não queria que você ouvisse isso essa noite, afirmou o ministrante, mas agindo Deus quem impedirá. Deus pode e quer mudar a sua sorte, como fez com Mardoqueu. E o mundo verá que grandes coisas fez o Senhor.
O salmista pede ao Senhor para restaurar a sorte, como uma corrente que enche de repente e traz vida e prosperidade. Deus está mudando a sua vida neste momento. Pode ser que esteja começando com lagrimas, mas o Senhor está mudando isso e secará suas lagrimas, transformando-a em riso. A partir de amanhã, ou até mesmo na saída, para alguns. Uma coisa, porém, é certa, agindo Deus, quem impedirá?
O versículo 6 diz “Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos.” Muitos param na adversidade, mas não é essa a atitude daqueles que crêem nas promessas. Deus pode mudar. E esse versículo diz exatamente isso: aqueles que choram colherão alegrias, concluiu o ministrante, determinando a vitória do Senhor na vida de todos os presentes.

Culto de Santa Ceia da Manhã de Domingo de 24-01-10




É tempo de edificar no Senhor

O ministrante da manhã, o Bispo Roberto, iniciou o momento da palavra, lendo com a Igreja o Salmos 126: 1-6:

1 Quando o SENHOR trouxe do cativeiro os que voltaram a Sião, estávamos como os que sonham.
2 Então a nossa boca se encheu de riso e a nossa língua de cântico; então se dizia entre os gentios: Grandes coisas fez o SENHOR a estes.
3 Grandes coisas fez o SENHOR por nós, pelas quais estamos alegres.
4 Traze-nos outra vez, ó SENHOR, do cativeiro, como as correntes das águas no sul.
5 Os que semeiam em lágrimas segarão com alegria.
6 Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos.

E, antes de compartilhar a Santa Ceia, convidou a Igreja a ler: I Coríntios 11: 23-34

23 Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão;
24 E, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós; fazei isto em memória de mim.
25 Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória de mim.
26 Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha.
27 Portanto, qualquer que comer este pão, ou beber o cálice do Senhor indignamente, será culpado do corpo e do sangue do Senhor.
28 Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma deste pão e beba deste cálice.
29 Porque o que come e bebe indignamente, come e bebe para sua própria condenação, não discernindo o corpo do Senhor.
30 Por causa disto há entre vós muitos fracos e doentes, e muitos que dormem.
31 Porque, se nós nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados.
32 Mas, quando somos julgados, somos repreendidos pelo Senhor, para não sermos condenados com o mundo.
33 Portanto, meus irmãos, quando vos ajuntais para comer, esperai uns pelos outros.
34 Mas, se algum tiver fome, coma em casa, para que não vos ajunteis para condenação. Quanto às demais coisas, ordená-las-ei quando for.

O bispo ensinou que a Ceia é algo importante e que não devemos participar dela sem discernir o corpo, que são os membros, afirmando que, quando participamos sem discernimento, o pão não vai deixar de ser pão, o vinho não deixará de ser vinho, mas as bênçãos virão para aqueles que participam da ceia, em comunhão. Não são os elementos que garantem a salvação, mas o fato de estarmos inseridos e podermos participar dignamente. Quem participa da Ceia, contrariando a vontade do Senhor, atrai para si a condenação. Por isso é preciso que cada um examine a sal vida e julgue a si próprio, pois esse momento é santo, afirmou o ministrante, antes de servir a Ceia à Igreja.
O salmos 126 fala de restauração e todos ficamos alegres com essa palavra. Quando Deus vem a nós e nos restaura, ele nos dá alegria. O salmista afirma que aquilo que Deus faz é visto por todos. Quem não teve a sua sorte restaurada, faça a oração que o salmista fez, porque a misercordia de Deus cobre aquele que o invoca, afirmou o bispo, convidando a igreja a ler e a meditar sobre o salmo 127, que diz que se não Deus estiver fazendo, se não estiver operando não adianta agirmos em nossas forcas, porque Deus deve estar em nosso negócio.
Salmos 127 :
1 Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o SENHOR não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela.
2 Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão de dores, pois assim dá ele aos seus amados o sono.
3 Eis que os filhos são herança do SENHOR, e o fruto do ventre o seu galardão.
4 Como flechas na mão de um homem poderoso, assim são os filhos da mocidade.
5 Bem-aventurado o homem que enche deles a sua aljava; não serão confundidos, mas falarão com os seus inimigos à porta
.
Se Ele não estiver, nada acontece. Pode ser que sua vida esteja em ruínas, se o Senhor não estiver agindo não adianta procurar médicos, psiquiatras e psicólogos. Antes de buscarmos qualquer recurso, devemos buscar o agir de Deus em nossa vida. Não importa como está a sua vida, afirmou o ministrante, mas uma coisa é certa: Deus quer trazer coisas novas em sua vida. Talvez Ele vá derrubar aquilo que foi edificado de forma errada, por isso o salmista diz que se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam. Como está a sua casa, perguntou o bispo. Como a sua vida está edificada? Há pessoas que a edificam sobre a areia. Mas em Cristo a edificação é sobre a rocha. Observe que há pessoas que se desmoronam quando vêm as crises, porque não estão edificados na rocha. Se o Senhor edificar, pode vir enchente, tsunamis, tempestades e a sua vida continuará firme. Ele é um Deus teocrático, que espera que você se achegue a Ele para pedir que edifique sua vida. Deus não habita em casa feita por mãos humanas. Ele só vai habitar em você se a casa for construída por Ele. Sua vida deve ser como Ele quer, para que Ele queira morar nela. Muitas vezes é preciso derrubar tudo, para que Ele queira habitar. Sua vida deve ser um lugar onde Deus viva, afirmou o ministrante assegurando que nesta manhã Deus quer trazer novidade de vida em você e fazer em sua vida um lugar aprazível, encontrar habitação em você. Se o Senhor não fizer a obra, em vão será o que faz. É de se observar que existem pessoas boas, que fazem obras assistenciais, que têm um amor aos carentes, mas são como casas que não são edificadas por Deus. O Espírito Santo está falando a você que área Ele quer mudar. Mas só vai mudar, se você der permissão. É preciso que você permita ao Espírito Santo que faça a Sua vontade em sua vida. Isso dói. Quem já fez reforma sabe que reformar é mais difícil e complicado do que edificar. Mas Deus é paciente e gosta de reforma. Ele edifica novas casas, mas também reforma casas antigas. E hoje Ele quer trabalhar com você em seu particular e está se chegando a você para que O autorize a tirar aquilo que precisa ser reformado. Em vão você estará trabalhando, se sua edificação não for alicerçada em Deus.
O bispo lembrou o testemunho da antiga “Feiticeira”, Joana Prado. Ele afirma ter vergonha do que foi, mas hoje sua casa está edificada na rocha.
Precisamos ter cuidado com o laço do passarinheiro, com as armadilhas de satanás, com os laços de morte que nos arma. É preciso, pois, vigiar, entregar os cuidados de nos proteger Àquele que pode cuidar de nós. Se acordamos bem esta manhã é porque Ele cuidou de nós. E essa certeza nos dá tranqüilidade. Não há porque temer o diabo, pois Aquele que não dorme, zela por nós. Se somos nascidos de Deus, não pecamos e o Filho guarda para que o diabo não toque. O pecado é que abre espaço para que o satanás toque. Mas se aquele que nos guarda é o Senhor, não há quem temer. Não é preciso ter o corpo fechado como é ensinado na macumba, mas em Jesus temos o corpo blindado. Aquele que nos guarda é maior. Se o Senhor não guardar, em vão vigia a sentinela, explicou o bispo, recomendando a leitura do livro, ou o DVD, “O peregrino”.
Quem vai nos proteger, nos guardar de ser atacado, de ser alvo de enfermidade, é o Senhor, reiterou o bispo.
O bispo afirmou que não devemos transgredir nem a lei de Deus, nem a dos homens. Se o Senhor o for o dono de seu dinheiro, de sua empresa, tudo irá bem. Quando os empresários colocam Jesus como sócio, a casa prospera. A recomendação é colocar Jesus como nosso sócio. Inútil será levantar de madrugada, se não colocarmos Jesus no negócio. Deus dá aos Seus enquanto dorme, essa é a palavra. Está registrado em Deuteronômio 28:

1 E será que, se ouvires a voz do SENHOR teu Deus, tendo cuidado de guardar todos os seus mandamentos que eu hoje te ordeno, o SENHOR teu Deus te exaltará sobre todas as nações da terra.
2 E todas estas bênçãos virão sobre ti e te alcançarão, quando ouvires a voz do SENHOR teu Deus;
3 Bendito serás na cidade, e bendito serás no campo.
4 Bendito o fruto do teu ventre, e o fruto da tua terra, e o fruto dos teus animais; e as crias das tuas vacas e das tuas ovelhas.
5 Bendito o teu cesto e a tua amassadeira.
6 Bendito serás ao entrares, e bendito serás ao saíres.
7 O SENHOR entregará, feridos diante de ti, os teus inimigos, que se levantarem contra ti; por um caminho sairão contra ti, mas por sete caminhos fugirão da tua presença.
8 O SENHOR mandará que a bênção {esteja}) contigo nos teus celeiros, e em tudo o que puseres a tua mão; e te abençoará na terra que te der o SENHOR teu Deus.
9 O SENHOR te confirmará para si como povo santo, como te tem jurado, quando guardares os mandamentos do SENHOR teu Deus, e andares nos seus caminhos.

Deixe os ditados do mundo, para os ímpios. Nossa palavra tem poder. Não afirme mais “comer o pão que o diabo amassou”, “correr atrás do prejuízo”. Mas confie seus caminhos ao Senhor e tudo o mais Ele vai fazer, exortou o ministrante.
O segredo é “aos Seus amados, Ele dá, enquanto dorme”. Isso significa que quando descansamos no Senhor, Ele edifica nossa vida, guarda nossa vida, cuida de nossas finanças. Quem sabe disso não se preocupa, pois descansa no Senhor e Ele sabe que nós necessitamos de todas essas coisas. Estejamos certos de que quando o amanhã chegar, a provisão chegará, pois o maná chega como bênção toda manhã àquele que confia. E antes de encerrar, convidou a Igreja a entregar aquela área da vida que precisa ser restaurada e a confiar na resposta do Senhor.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Culto da Vitória de 22-01-10


É tempo de restauração



O ministrante da noite, o Pastor José Darci, iniciou sua preleção afirmando que somos especiais para Deus e Ele cuida de nós onde quer que estejamos. Aqueles que pertencem ao Senhor recebe um cuidado especial, assegurou o pastor, dizendo que nessa noite traria uma mensagem de restauração. Deus tem falado conosco e quer entregar essa mensagem, afirmou o ministrante lendo com a Igreja
Neemias 8

1 E chegado o sétimo mês, e estando os filhos de Israel nas suas cidades, todo o povo se ajuntou como um só homem, na praça, diante da porta das águas; e disseram a Esdras, o escriba, que trouxesse o livro da lei de Moisés, que o SENHOR tinha ordenado a Israel.
2 E Esdras, o sacerdote, trouxe a lei perante a congregação, tanto de homens como de mulheres, e todos os que podiam ouvir com entendimento, no primeiro dia do sétimo mês.
3 E leu no livro diante da praça, que está diante da porta das águas, desde a alva até ao meio dia, perante homens e mulheres, e os que podiam entender; e os ouvidos de todo o povo estavam atentos ao livro da lei.
4 E Esdras, o escriba, estava sobre um púlpito de madeira, que fizeram para aquele fim; e estava em pé junto a ele, à sua mão direita, Matitias, Sema, Anaías, Urias, Hilquias e Maaséias; e à sua mão esquerda, Pedaías, Misael, Melquias, Hasum, Hasbadana, Zacarias e Mesulão.
5 E Esdras abriu o livro perante à vista de todo o povo; porque estava acima de todo o povo; e, abrindo-o ele, todo o povo se pôs em pé.
6 E Esdras louvou ao SENHOR, o grande Deus; e todo o povo respondeu: Amém, Amém! levantando as suas mãos; e inclinaram suas cabeças, e adoraram ao SENHOR, com os rostos em terra.
7 E Jesuá, Bani, Serebias, Jamim, Acube, Sabetai, Hodias, Maaséias, Quelita, Azarias, Jozabade, Hanã, Pelaías, e os levitas ensinavam o povo na lei; e o povo estava no seu lugar.
8 E leram no livro, na lei de Deus; e declarando, e explicando o sentido, faziam que, lendo, se entendesse.
9 E Neemias, que era o governador, e o sacerdote Esdras, o escriba, e os levitas que ensinavam ao povo, disseram a todo o povo: Este dia é consagrado ao SENHOR vosso Deus, então não vos lamenteis, nem choreis. Porque todo o povo chorava, ouvindo as palavras da lei.
10 Disse-lhes mais: Ide, comei as gorduras, e bebei as doçuras, e enviai porções aos que não têm nada preparado para si; porque este dia é consagrado ao nosso Senhor; portanto não vos entristeçais; porque a alegria do SENHOR é a vossa força.
11 E os levitas fizeram calar a todo o povo, dizendo: Calai-vos; porque este dia é santo; por isso não vos entristeçais.
12 Então todo o povo se foi a comer, a beber, a enviar porções e a fazer grande regozijo; porque entenderam as palavras que lhes fizeram saber.

O ministrante perguntando à Igreja se criam que a Bíblia é a palavra de Deus, ensinou que esse povo era o povo a quem o Senhor tinha feito uma aliança, entregando uma promessa e em todo o tempo esteve presente na vida daquele povo, dirigindo a sua vida. E quando entra na terra prometida, o povo vê aquele povo com cultura e cultos a deuses vários. O povo vivia momentos de paz e alegria, mas toda vez que se levantava um rei que desobedecia a palavra de Deus, levava o povo a pecar. É preciso que compreendamos a importância do templo e do Muro das Lamentações.
O povo entra na Terra Prometida e está abrigado pelas muralhas, mas deixou de lado a presença do Senhor e trocou pelo templo, e as muralhas passaram a representar segurança. O povo debaixo de muitas ameaças começa a edificar o Templo por meio de Esdras e de Elias, as Muralhas. Mas o povo estava dizendo que não era o templo, ou as muralhas que traria a verdadeira paz e segurança. Eles haviam invertido os valores e se afastaram da presença de Deus. Não é o fato de ir a igreja que traz a presença de Deus. Não é a estrutura física que nos dá acesso à Sua presença. A restauração daquele povo começou quando Neemias
A restauração só aconteceu quando eles se voltaram para a palavra. Só há restauração, cura quando nos voltamos para a palavra de Deus. O evangelho de Joao diz que o verbo se fez carne. A palavra tomou vida. Quando conhecemos a palavra, conhecemos o Senhor da palavra. Temos que nos voltar para a palavra de Deus. Não é no templo, na segurança de uma casa que nos firmamos. Mas a palavra é como uma espada de dois gumes, capaz de separar o homem natural do homem espiritual e só assim seremos capazes de entender o que Ele nos diz, por meio de sua palavra.
A palavra traz mudança, traz transformação, traz novidade de vida. Ela é tão maravilhosa que revigora e traz renovo aos mais abatidos. É tão poderosa que o diabo fez uso dela para tentar Jesus. Mas Jesus a usou para expulsá-lo. Ele deve ser motivo de reflexão não só quando o pastor ministra, mas deve ser leitura diária, ensinou o ministrante.
Ao entrar na Terra Prometida, quando tudo poderia ser bênção e novidade, o povo se afastou, porque não se alimentou da palavra, como muitos ainda fazem até hoje. Mas nessa noite Deus quer restaurar a Igreja. E ela só será renovada quando nos voltarmos para a palavra do Senhor.
O profeta mostrou ao povo que poderiam desfrutar de regozijo, quando compreendessem a palavra. Quando não compreendemos a palavra, ignoramos o poder do Deus vivo em nossas vidas e nos deixamos seduzir pelas representações. Mas quando, não importa o que estamos vivendo, nos dispusemos a ouvir e a abrir os nossos corações para praticar a palavra, tudo se transforma. Nossas vidas são restauradas e nossos inimigos são destruídos. Deus nos garante a vitória, pelo poder de Sua palavra, quando nela nos apegamos.
Aquele povo havia se afastado e invertido os valores e após 70 anos, Deus estava falando a eles. E a palavra de Deus não volta vazia, sem que se cumpra aquilo a que destinou. Pode ser que você esteja imaginando que Deus se calou, mas se quer ouvir a voz do Senhor, deixe que Ele fale com você, e experimentará dias de paz e saberá, mesmo nas lutas que Ele está ao seu lado. E saberá que Ele conquistou todas as coisas, quando disse, no Calvário “está consumado”.
Você vai saber que Ele estará consigo todos os dias até a consumação dos séculos, como afirmou. Ele não desampara os Seus. E toda palavra que procede da boca de Deus não volta vazia, antes que se cumpram as Suas promessas, garantiu o ministrante.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Culto de despertar da fé de 21-01-10




É tempo de crer nas promessas de Deus e esperar por Sua justiça

O ministrante da noite, de despertar da fé, o pastor Luiz Nolasco Júnior, iniciou a palavra da noite, lendo com a Igreja Romanos 4: 1-

1 Que diremos, pois, ter alcançado Abraão, nosso pai segundo a carne?
2 Porque, se Abraão foi justificado pelas obras, tem de que se gloriar, mas não diante de Deus.
3 Pois, que diz a Escritura? Creu Abraão em Deus, e isso lhe foi imputado como justiça.
4 Ora, àquele que faz qualquer obra não lhe é imputado o galardão segundo a graça, mas segundo a dívida.
5 Mas, àquele que não pratica, mas crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada como justiça.
6 Assim também Davi declara bem-aventurado o homem a quem Deus imputa a justiça sem as obras, dizendo:
7 Bem-aventurados aqueles cujas maldades são perdoadas, E cujos pecados são cobertos.
8 Bem-aventurado o homem a quem o Senhor não imputa o pecado.
9 ¶ Vem, pois, esta bem-aventurança sobre a circuncisão somente, ou também sobre a incircuncisão? Porque dizemos que a fé foi imputada como justiça a Abraão.
10 Como lhe foi, pois, imputada? Estando na circuncisão ou na incircuncisão? Não na circuncisão, mas na incircuncisão.
11 E recebeu o sinal da circuncisão, selo da justiça da fé, quando estava na incircuncisão, para que fosse pai de todos os que crêem, estando eles também na incircuncisão; a fim de que também a justiça lhes seja imputada;
12 E fosse pai da circuncisão, daqueles que não somente são da circuncisão, mas que também andam nas pisadas daquela fé que teve nosso pai Abraão, que tivera na incircuncisão.
13 Porque a promessa de que havia de ser herdeiro do mundo não foi feita pela lei a Abraão, ou à sua posteridade, mas pela justiça da fé.
14 Porque, se os que são da lei são herdeiros, logo a fé é vã e a promessa é aniquilada.
15 Porque a lei opera a ira. Porque onde não há lei também não há transgressão.
16 Portanto, é pela fé, para que seja segundo a graça, a fim de que a promessa seja firme a toda a posteridade, não somente à que é da lei, mas também à que é da fé que teve Abraão, o qual é pai de todos nós,
17 (Como está escrito: Por pai de muitas nações te constituí) perante aquele no qual creu, a saber, Deus, o qual vivifica os mortos, e chama as coisas que não são como se já fossem.
18 O qual, em esperança, creu contra a esperança, tanto que ele tornou-se pai de muitas nações, conforme o que lhe fora dito: Assim será a tua descendência.
19 E não enfraquecendo na fé, não atentou para o seu próprio corpo já amortecido, pois era já de quase cem anos, nem tampouco para o amortecimento do ventre de Sara.
20 E não duvidou da promessa de Deus por incredulidade, mas foi fortificado na fé, dando glória a Deus,
21 E estando certíssimo de que o que ele tinha prometido também era poderoso para o fazer.
22 Assim isso lhe foi também imputado como justiça.
23 Ora, não só por causa dele está escrito, que lhe fosse tomado em conta,
24 Mas também por nós, a quem será tomado em conta, os que cremos naquele que dentre os mortos ressuscitou a Jesus nosso Senhor;
25 O qual por nossos pecados foi entregue, e ressuscitou para nossa justificação.

Senhor, faça-nos justiça, onde está a Sua justiça a nosso favor, são expressões que dirigimos a Deus em momentos de luta e de incertezas. Mas a nossa justiça está diretamente vinculada às promessas de Deus em nossa vida, afirmou o pastor. Quando você pensa que está sendo injustiçado você tem que se lembrar que o Senhor está com você, e tem promessas em sua vida. Ele está purificando sua vida e crê que Ele pode perdoar os seus pecados, as promessas de Deus virão. Ele não deixará que a dureza da justiça humana venha na sua intensidade, porque você creu e se apropriou dessa promessa.
Quando você crê nas promessas de Deus na sua vida, a justiça Dele se manifesta, reiterou o pastor, contando à Igreja a história de um interno do CAJE que durante o período que estava foragido se converteu. E, apresentou-se ao juiz, mesmo sabendo que, por conta de sua idade, se esperasse uns poucos dias, sua pena se extinguiria. Foi ao juiz e recebeu a sentença, sem ser amenizada, entretanto, afirmando saber que as promessas de Deus para sua vida é que lhe garantirão a vitória e não a mão do juiz em aliviar sua pena.
O que move Deus na Sua justiça é o que Ele falou com você afirmou o pastor, reforçando que as promessas que ainda não se cumpriram virão, se você tomar posse delas. Se você seguir e viver as promessas de Deus, certamente vai contemplar as promessas de Deus em sua vida, com muita clareza.
Há casos impossíveis aos nossos olhos, mas Deus faz acontecer o imprevisível. Quando temos uma promessa de Deus e andamos segundo essa promessa, fazemos o que parece loucura aos homens. Entretanto, quem quer a justiça de Deus vai em busca de uma palavra de Deus e se apega a ela, pois no momento em que Ele falou, ela é promessa e assim como Abraão creu e foi justificado, o Senhor irá ao seu encontro, ensinou o pastor, agradecendo ao Senhor pela fidelidade em abençoar aqueles que crêem e guardam as promessas e persistem em alcançá-las.

domingo, 17 de janeiro de 2010


É tempo de ouvir os bons conselhos

O ministrante da noite, o Pastor Adriano Carvalho, iniciou a preleção informando que falaria sobre opinião. Opinião é conselho, conforme o dicionário, explicou, lembrando que há ditados populares que dizem que se conselho prestasse não seria dado, seria cobrado. No entanto, a Bíblia diz exatamente o contrário, garantiu, citando Provérbios 15:22, em que Salomão nos ensina sobre isso: ‘”Quando não há conselhos os planos se dispersam, mas havendo muitos conselheiros eles se firmam.”
A opinião boa é de Deus, quando você conhece a vida dela e sabe como ela age, sua vida é íntegra, então você deve ouvir, aconselhou o pastor. Não deve ouvir quando a vida da pessoa depõe contra o que ela diz. A palavra de Deus diz “ensina teu filho” vai chegar uma hora em que ele vai ouvir
Mas há um conselho tremendo em I Reis que devemos levar em conta:
I Reis 2: 1- 4
1 E aproximaram-se os dias da morte de Davi; e deu ele ordem a Salomão, seu filho, dizendo:
2 Eu vou pelo caminho de toda a terra; esforça-te, pois, e sê homem.
3 E guarda a ordenança do SENHOR teu Deus, para andares nos seus caminhos, e para guardares os seus estatutos, e os seus mandamentos, e os seus juízos, e os seus testemunhos, como está escrito na lei de Moisés; para que prosperes em tudo quanto fizeres, e para onde quer que fores.
4 Para que o SENHOR confirme a palavra, que falou de mim, dizendo: Se teus filhos guardarem o seu caminho, para andarem perante a minha face fielmente, com todo o seu coração e com toda a sua alma, nunca, disse, te faltará sucessor ao trono de Israel.

O rei Davi, ao aproximar o dia de sua morte, chama seu filho Salomão e lhe dá um conselho. O pai no leito de morte dá um conselho ao filho. Você já parou para pensar em um conselho deste, perguntou o ministrante.
Desde Moisés, quando passou o cajado a Josué, Deus usava as pessoas para aconselharem: Não saia da presença de Deus. E Davi não podia deixar de passar esse conselho a seu filho. Ouvimos na igreja que quando entregamos nossa vida a Jesus tudo tem que mudar. Sair do pecado, que significa errar o alvo. Um bom conselho para você neste momento neste momento é: saia do que está fazendo e volte para os caminhos do Senhor. É muito fácil ir para a igreja e só buscar prosperidade. Tem que haver muita mudança. Nós sabemos que a vida do cristão não é um mar de rosas. Mas ela é muito boa quando sentimos que estamos firmes. Não há onda que nos tire os pés. Aí os testemunhos começam a aparecer. Será que é porque temos um corpinho ou um rostinho bonito? Não! Afirmou o pastor. Isso acontece porque o Senhor olha para nós como um todo. Não temos que estar na igreja porque queremos bênçãos imediatas. O lucro de ouvir um bom conselho é não sair da presença de Deus. É o que devemos passar aos nossos filhos o que aprendemos na igreja. Isso é um bom conselho. Os pais precisam ficar atentos aos exemplos que dão aos filhos, afirmou o ministrante, citando a fala do bispo Roberto que sempre diz que é preferível ver as crianças correndo na igreja, mas em sintonia com a palavra. Não se deve sair da casa do Senhor. Ela é o lugar em que os conselhos são bons. E os filhos já aprendem desde a mais tenra idade. É importante que os pais transmitam bons valores aos filhos. E o exemplo é tudo. Como é bom ser um pai presente e dar bons conselhos aos filhos.
Quando um conselho é ruim, mostrou o pastor, abrindo a Bíblia nos salmos 1: 1:
“Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores.”
Se você é um servo de Deus e está com um problema em seu casamento, como irá procurar um conselho de um ímpio? Nada de valor lhe será dado. Se você está querendo deixar o mundo, sabendo que o mundo não serve para você, como vai chegar para um amigo incrédulo e dizer que quer mudar de vida. É mais certo que ele ria de você, ou que o convença de continuar no mundo. Se você busca conselhos de ímpios aí começam ou aumentam os seus problemas. Porque neles não há bons conselhos. Cristão que é fiel prospera. Consegue viver bem, com o que Deus permite. Troca de carro, compra e reforma a casa e não tem seu nome sujo. Isso porque não anda no conselho dos ímpios para sonegar ou entrar em negócios ilícitos. Mas aqueles que ouvem as vozes dos ímpios, podem até encontrar uma solução rápida para seus problemas, mas muito antes do que imaginam, verão a cova profunda onde entraram. E quando não ouvem o conselho que está de acordo com a palavra e preferem fazer o contrário, certamente verão suas vidas embaraçadas.
Há pessoas que buscam conselhos nos homens de Deus, às vezes ouve o que não quer, mas se segue os conselhos sua vida muda e prospera. Mas há pessoas que não ouvem conselhos. Muitas vezes agem como quem não precisam de ajuda, como quem não quer ouvir a palavra de Deus. Essa pessoa pode até ir à igreja e ouvir uma palavra direcionada a ela, mas se não abre o coração nada pode mudar. Há quem prefere voltar as costas para os bons conselhos e desprezar o conselheiro. Agem com orgulho e preferem cair a aceitar a opinião de quem está em sintonia com Deus, em vez de dar ouvidos àqueles que estão na roda dos escarnecedores, quem vivem no pecado e fazendo tudo que não agradam a Deus.
Siga o conselho de quem ora. Conselho do ímpio é a pior coisa que o cristão pode procurar. Você tem olhar para quem trabalha por você. Quem está do seu lado na Igreja, quem tem uma vida que testemunha. Pela árvore se conhece os frutos, diz a Bíblia. Busque a sabedoria de Deus. Não dê ouvidos aos ímpios com relação a casamento, criação de filhos. Já imaginou criar seus filhos ouvindo os conselhos de pessoas que não servem ao Senhor, mas procure uma pessoa que tem uma vida íntegra diante de Deus, asseverou o pastor.
Muitas vezes você vai ouvir o que não quer, mas o mais certo é dar ouvidos a quem tem uma vida limpa. Se vai procurar um advogado, procure um cristão. Se vai procurar conselhos sobre casamento, procure quem tem uma vida conjugal reta, sem manchas. Mas se você ouve o ímpio, certamente ficará em maus caminhos. É isso que a Bíblia diz, garantiu o pastor, lendo com a Igreja Josué 23:14:
“E eis que vou hoje pelo caminho de toda a terra; e vós bem sabeis, com todo o vosso coração, e com toda a vossa alma, que nem uma só palavra falhou de todas as boas coisas que falou de vós o SENHOR vosso Deus; todas vos sobrevieram, nenhuma delas falhou.”
Josué recebeu a mesma palavra que Moisés, “Não to mandei eu? Esforça-te, e tem bom ânimo; não temas, nem te espantes; porque o SENHOR teu Deus é contigo, por onde quer que andares.” (Josué 1:9). E foi justamente pelo conselho de Moisés a Josué, que ele entendeu. Deus havia dado uma palavra de prosperidade a Moisés e também disse a Josué 1:3 “Todo o lugar que pisar a planta do vosso pé, vo-lo tenho dado, como eu disse a Moisés.”
Se você largar o caminho errado e se mantiver no caminho certo, as promessas de Deus se cumprirão em sua vida na íntegra. Nenhuma das promessas do Senhor falhou porque Josué foi íntegro na presença de Deus. Ele não fez como os outros: não buscou mulher ímpia para casar, não praticou idolatria, não praticou iniqüidades.
Em Mateus 26: 25-34 temos a resposta para o fato de sermos prósperos.
25 Por isso vos digo: Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo mais do que o vestuário?
26 Olhai para as aves do céu, que nem semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não tendes vós muito mais valor do que elas?
27 E qual de vós poderá, com todos os seus cuidados, acrescentar um côvado à sua estatura?
28 E, quanto ao vestuário, por que andais solícitos? Olhai para os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham nem fiam;
29 E eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles.
30 Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe, e amanhã é lançada no forno, não vos vestirá muito mais a vós, homens de pouca fé?
31 Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos, ou que beberemos, ou com que nos vestiremos?
32 (Porque todas estas coisas os gentios procuram). De certo vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas;
33 Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.
34 Não vos inquieteis, pois, pelo dia amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal. temos o segredo da prosperidade: porque colocamos diante de Deus em primeiro lugar as Suas coisas, o resto Ele nos acrescenta.
Pense se sua vida tem sido pautada em buscar primeiro o Reino de Deus, ou você quer apenas as bênçãos de Deus, deixando de lado o Deus das bênçãos. Esse é o conselho que deixa o pastor, sem afirmar que aqueles que assim fazem terão uma vida sem problemas. O que ocorrerá é uma busca do Senhor que trará tudo o mais que necessitamos, mesmo aquilo que não pedimos, mas Ele sabe. Você deve ser próspero em todas as áreas. Você deve romper espiritualmente.
Não tenha vergonha de dizer que é fraco e precisa de Deus, concluiu o pastor.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Culto da Vitória de 15-01-10


É tempo de não sair do lugar da bênção

O ministrante desta noite de vitória, o Pastor Ricardo Hermes, iniciou sua preleção agradecendo a Deus pelo privilégio de sermos Seus filhos e de gozarmos de todas as bênçãos que disso decorre.
É sempre bom iniciarmos e terminarmos a semana na presença do Senhor, sabendo que Ele é um Deus que ouve e nos atende. Mesmo que não tivéssemos a oportunidade de portar uma Bíblia, como acontece por vários motivos em muitos países, nós aqui devemos agradecer por essa condição e tudo indica que isso não será sempre assim. Mas podemos transformar as circunstâncias por meio de nossas orações, para fazer com que aquilo que está no coração de Deus possa ser executado.
Convidando a Igreja a abrir a Bíblia no livro de Deuteronômio 8: 1-9, o pastor leu:

1 Todos os mandamentos que hoje vos ordeno guardareis para os cumprir; para que vivais, e vos multipliqueis, e entreis, e possuais a terra que o SENHOR jurou a vossos pais.
2 E te lembrarás de todo o caminho, pelo qual o SENHOR teu Deus te guiou no deserto estes quarenta anos, para te humilhar, e te provar, para saber o que estava no teu coração, se guardarias os seus mandamentos, ou não.
3 E te humilhou, e te deixou ter fome, e te sustentou com o maná, que tu não conheceste, nem teus pais o conheceram; para te dar a entender que o homem não viverá só de pão, mas de tudo o que sai da boca do SENHOR viverá o homem.
4 Nunca se envelheceu a tua roupa sobre ti, nem se inchou o teu pé nestes quarenta anos.
5 Sabes, pois, no teu coração que, como um homem castiga a seu filho, assim te castiga o SENHOR teu Deus.
6 E guarda os mandamentos do SENHOR teu Deus, para andares nos seus caminhos e para o temeres.
7 Porque o SENHOR teu Deus te põe numa boa terra, terra de ribeiros de águas, de fontes, e de mananciais, que saem dos vales e das montanhas;
8 Terra de trigo e cevada, e de vides e figueiras, e romeiras; terra de oliveiras, de azeite e mel.
9 Terra em que comerás o pão sem escassez, e nada te faltará nela; terra cujas pedras são ferro, e de cujos montes tu cavarás o cobre.


O pastor Ricardo, advertiu a Igreja de que Deus está nos chamando para um posicionamento, não é de agora. Quando a palavra é ministrada, ela é dada a pessoas de várias formas. Pessoas que passam por tribulações, por tantas dificuldades, mas mesmo assim não abrem a boca. Pessoas que estão com problemas domésticos, com problemas financeiros, com problemas sentimentais. Talvez haja aqui pessoas que estejam lutando para manter seu emprego, seu casamento, porém, sabendo que esta situação pode se transformada pela manifestação de Deus. Quando Deus disse esse texto não fez como fez com Abraão, a quem deu um filho na velhice e depois o pediu como prova de sua confiança. Deus não estava pedindo grandes condições ao seu povo, mas simplesmente dizendo para que tivesse cuidado de obedecer aos seus mandamentos. Muitas vezes temos dificuldade de obedecer porque somos tendenciosos a nos afastar, quando estamos em período de fartura, ou mesmo quando a escassez é grande. Pelos testemunhos sabemos que as pessoas clamam e anseiam pela presença de Deus quando passam por dificuldade, afirmou o pastor. Devemos estar preparados para nos manter na presença de Deus na abundância e na falta.
O ministrante lembrou que muitas vezes não sabemos os caminhos de Deus, como Ele se manifesta de forma sobrenatural e muda a ordem das coisas que nos parecem impossíveis. Um certo cidadão, que não queria nada com Deus, quando vemos se converte. Ou mesmo alguém de quem já havíamos desistido, muda seu posicionamento e muda por completo sua vida. Isso é obra de Deus e não podemos entender com o se faz. O fato de virmos à Igreja já é algo tremendo porque temos várias outras opções, recebemos convites para os mesmos horários e escolhemos ou somos impulsionados a estar aqui. E isso, por si só já desencadeia uma batalha espiritual tremenda, afirmou o ministrante convidando a Igreja a abrir o Evangelho de Mateus 7: 7-14


7 Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á.
8 Porque, aquele que pede, recebe; e, o que busca, encontra; e, ao que bate, abrir-se-lhe-á.
9 E qual de entre vós é o homem que, pedindo-lhe pão o seu filho, lhe dará uma pedra?
10 E, pedindo-lhe peixe, lhe dará uma serpente?
11 Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas coisas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará bens aos que lhe pedirem?
12 Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós, porque esta é a lei e os profetas.
13 Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela;
14 E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem.

Esses poucos estão aqui presentes, afirmou o pastor, dizendo que Jesus está nos dizendo para pedir, porque nos será dado. Ele está dizendo para fazermos da simplicidade a nossa rotina, no nosso dia-a-dia, consultarmos a Deus qual é a Sua vontade. Se batermos, a porta será aberta, isso quem garante é o próprio Senhor Jesus e, se Ele falou, Ele cumprirá. Jesus está nos dizendo que nossa oração pode ser em forma de pedidos. Muitas vezes temos medo de pedir porque pedimos mal, disse o pastor lembrando a história de Daniel. Ele orou e pediu algo que poderia ter sido entregue no mesmo momento porque Deus mandou em seguida, porém, o demônio atrasou essa entrega. Com isso podemos aprender que no momento em que pedimos Deus já nos responde. Mas vemos com o episódio de Daniel que, se ele tivesse desistido, não teria recebido. Talvez você tenha colocado como limite um tempo e se esqueceu de consultar a Deus se era o momento. Daniel permaneceu firme e recebeu a bênção. Se você sai da posição da bênção ela pode não chegar. Em que posição você está? Se Daniel tivesse saído do lugar, a bênção que foi atrasada pelo príncipe da Pérsia não teria chegado até ele. Ele perseverou, não duvidou de que Deus entregaria. E você? Tem esperado o que pede, ou tem deixado que o diabo o tire do lugar da bênção e impeça de receber aquilo que Deus já providenciou? Faça um exame, alertou o pastor. Quantas coisas que pediu não foram entregues porque você desistiu antes da hora. Saiba que Deus já respondeu no mesmo momento de seu pedido, mas isso não significa que a entrega tenha que ser imediata. Deus sabe porquê.
Algumas vezes é preciso agradecer a Deus por não nos ter atendido no momento, pois pode ser como uma criança recebendo uma faca com a qual pode se cortar, ponderou o pastor. Saiba que tudo que pedir lhe será dado, mas peça a Deus para lhe entregar no momento certo.
Quem busca encontra. Se você disser que vai buscá-Lo, vai encontrá-Lo, certamente. Essa é uma promessa de Jesus. Não deixe de buscar, exortou o pastor, pois nossa oração tem que ter, além de nossos pedidos, intimidade com Deus. É preciso que saibamos que Ele está de acordo com nossos pedidos. Deus não dá pedra a quem pede pão. Mas muitas vezes não temos o discernimento do que seja o pão. Independente de Ele nos dar qualquer coisa, precisamos Dele. A porta nos será aberta toda vez que batermos. Deus jamais estará de férias, desconectado ou ocupado. Se batermos na porta ela sempre se abrirá. Quando começarmos a interceder pela Igreja, mesmo sem saber quais os detalhes, quais as necessidades, o Senhor abrirá a porta. Deus sempre usa os intercessores para orar pelas necessidades. Por aquilo ou alguém que precisa ser tocado e que precisa de livramento. Às vezes somos incomodados no meio da noite para interceder por alguém, mesmo sem saber o motivo, por isso em nossas orações precisamos nos colocar no lugar de outra pessoa e dividir com ela o peso. Quando pedimos, recebemos, quando batemos a porta se abre e formas miraculosas acontecem por meio da intercessão. Ás vezes encontramos pessoas egoístas, magoadas umas com as outras. Pessoas complicadas que não conseguem tomar decisões, ou quando as fazem, não consultam o Senhor e acabam se deixando levar pelas seduções do mundo. Pessoas que precisam que alguém interceda por elas, pois não abrem seu coração para guardar a palavra e preferem dar lugar às atrações do mundo. Aí nos lembramos que pela porta estreita é mais difícil entrar, enquanto é mais fácil a porta larga. As pessoas estão entrando com muita facilidade pela porta larga: dos vícios, da prostituição, das amizades falsas, do dinheiro fácil, das companhias que não edificam, do jugo desigual. Não precisamos ficar buscando em vários lugares para saber o que fazer. Temos um único ditador de regras. Entrar pela porta estreita é mais difícil, mas seus benefícios são maiores. Quando a coisa é apertada, não caímos, garantiu o pastor. Deus nos dá segurança e nos protege. Quando estamos juntos caminhando um atrás do outro, como Igreja. Um ajuda o outro, se há dificuldade, por isso a comunhão com os irmãos é tão importante e necessária. Mas na porta larga, cada um entra por si. Muitas vezes precisamos ser engessados uns com os outros para obtermos a firmeza. Se a porta é estreita, agradeça a Deus por ela. Dobre seus joelhos, convidou o ministrante, afirmando que um dia todo joelho se dobrará e confessará que Jesus Cristo é o Senhor.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Culto de Despertar da Fé de 13-01-10




É Tempo de agir com fé



O ministrante da noite, Pr. Luiz Cláudio, iniciou a sua preleção afirmando que onde há o poder de Deus há cura, há transformação de vidas, casamentos são curados, vidas são mudadas, pois o poder divino é sobrenatural.
A palavra de Deus diz que onde dois ou mais estiverem reunidos, em nome do Senhor, ali Ele estará. O Senhor está aqui, afirmou o pastor, agradecendo pela palavra que será entregue por seu intermédio, mas dirigida pela vontade do Espírito Santo para tocar os corações de cada um.
O ministrante lembrou que a fé é renovada na luta e que devemos cuidar daquilo pelo qual oramos, porque Deus responde e convidou a Igreja a ler Hebreus 11


1 Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem.
2 Porque por ela os antigos alcançaram testemunho.
3 Pela fé entendemos que os mundos pela palavra de Deus foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente.
4 Pela fé Abel ofereceu a Deus maior sacrifício do que Caim, pelo qual alcançou testemunho de que era justo, dando Deus testemunho dos seus dons, e por ela, depois de morto, ainda fala.
5 Pela fé Enoque foi trasladado para não ver a morte, e não foi achado, porque Deus o trasladara; visto como antes da sua trasladação alcançou testemunho de que agradara a Deus.
6 Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam.
7 Pela fé Noé, divinamente avisado das coisas que ainda não se viam, temeu e, para salvação da sua família, preparou a arca, pela qual condenou o mundo, e foi feito herdeiro da justiça que é segundo a fé.
8 Pela fé Abraão, sendo chamado, obedeceu, indo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia.
9 Pela fé habitou na terra da promessa, como em terra alheia, morando em cabanas com Isaque e Jacó, herdeiros com ele da mesma promessa.
10 Porque esperava a cidade que tem fundamentos, da qual o artífice e construtor é Deus.
11 Pela fé também a mesma Sara recebeu a virtude de conceber, e deu à luz já fora da idade; porquanto teve por fiel aquele que lho tinha prometido.
12 Por isso também de um, e esse já amortecido, descenderam tantos, em multidão, como as estrelas do céu, e como a areia inumerável que está na praia do mar.
13 Todos estes morreram na fé, sem terem recebido as promessas; mas vendo-as de longe, e crendo-as e abraçando-as, confessaram que eram estrangeiros e peregrinos na terra.
14 Porque, os que isto dizem, claramente mostram que buscam uma pátria.
15 E se, na verdade, se lembrassem daquela de onde haviam saído, teriam oportunidade de tornar.
16 Mas agora desejam uma melhor, isto é, a celestial. Por isso também Deus não se envergonha deles, de se chamar seu Deus, porque já lhes preparou uma cidade.
17 Pela fé ofereceu Abraão a Isaque, quando foi provado; sim, aquele que recebera as promessas ofereceu o seu unigênito.
18 Sendo-lhe dito: Em Isaque será chamada a tua descendência, considerou que Deus era poderoso para até dentre os mortos o ressuscitar;
19 E daí também em figura ele o recobrou.
20 Pela fé Isaque abençoou Jacó e Esaú, no tocante às coisas futuras.
21 Pela fé Jacó, próximo da morte, abençoou cada um dos filhos de José, e adorou encostado à ponta do seu bordão.
22 Pela fé José, próximo da morte, fez menção da saída dos filhos de Israel, e deu ordem acerca de seus ossos.
23 Pela fé Moisés, já nascido, foi escondido três meses por seus pais, porque viram que era um menino formoso; e não temeram o mandamento do rei.
24 Pela fé Moisés, sendo já grande, recusou ser chamado filho da filha de Faraó,
25 Escolhendo antes ser maltratado com o povo de Deus, do que por um pouco de tempo ter o gozo do pecado;
26 Tendo por maiores riquezas o vitupério de Cristo do que os tesouros do Egito; porque tinha em vista a recompensa.
27 Pela fé deixou o Egito, não temendo a ira do rei; porque ficou firme, como vendo o invisível.
28 Pela fé celebrou a páscoa e a aspersão do sangue, para que o destruidor dos primogênitos lhes não tocasse.
29 Pela fé passaram o Mar Vermelho, como por terra seca; o que intentando os egípcios, se afogaram.
30 Pela fé caíram os muros de Jericó, sendo rodeados durante sete dias.
31 Pela fé Raabe, a meretriz, não pereceu com os incrédulos, acolhendo em paz os espias.
32 E que mais direi? Faltar-me-ia o tempo contando de Gideão, e de Baraque, e de Sansão, e de Jefté, e de Davi, e de Samuel e dos profetas,
33 Os quais pela fé venceram reinos, praticaram a justiça, alcançaram promessas, fecharam as bocas dos leões,
34 Apagaram a força do fogo, escaparam do fio da espada, da fraqueza tiraram forças, na batalha se esforçaram, puseram em fuga os exércitos dos estranhos.
35 As mulheres receberam pela ressurreição os seus mortos; uns foram torturados, não aceitando o seu livramento, para alcançarem uma melhor ressurreição;
36 E outros experimentaram escárnios e açoites, e até cadeias e prisões.
37 Foram apedrejados, serrados, tentados, mortos ao fio da espada; andaram vestidos de peles de ovelhas e de cabras, desamparados, aflitos e maltratados
38 (Dos quais o mundo não era digno), errantes pelos desertos, e montes, e pelas covas e cavernas da terra.
39 E todos estes, tendo tido testemunho pela fé, não alcançaram a promessa,
40 Provendo Deus alguma coisa melhor a nosso respeito, para que eles sem nós não fossem aperfeiçoados.


Esse texto extenso traz grandes coisa que Deus fez e algumas serão destacadas. Moises, em vez de escolher ser chamado filho da filha do homem mais rico do mundo, escolheu o que aparentemente não era o mais cobiçado. Mas ele sabia a recompensa futura. E você, o que tem escolhido? As coisas de Deus ou as coisas do mundo, perguntou o pastor afirmando que há um livro na Bíblia que ainda está sendo escrito: o livro de Atos. E nós somos seus co-autores. Temos nos colocado diante de Deus para que Ele fale conosco, nos conduza em Seus caminhos?
O ministrante lembrou a sua própria história, afirmando que temos que andar pela fé. Muitas vezes as provações e lutas que vivemos são usadas para nos fortalecer a fé e nos fazer dar testemunhos para que outras vidas sejam alcançadas e levada ao Senhor. Quando temos intimidade com Deus, onde estivermos, se marcharmos com Ele, teremos a vitória, afirmou o pastor. Mas é preciso exercitar a nossa fé e obedecermos a Deus, assegurou.
Deus vê de uma forma diferente de nós. Ele conhece a nossa vida, sem limites, e sabe dos nossos pontos fracos, afirmou o pastor citando a história do centurião, ensinando a Igreja a ter uma linha direta com Deus, pois assim como Ele agiu com o centurião, Ele age de longe, basta confiar que Ele estará por nós, quando a Ele pedirmos. É preciso saber que, quanto mais perto de Deus nos achegarmos, mais Ele estará pronto a nos atender. Trabalhar em uma fábrica de sabão não torna ninguém limpo. É preciso usar o sabonete e se limpar. De igual modo, não é freqüentar a igreja que nos faz cristãos. Para sermos íntimos de Cristo e sermos considerados servos é necessário fazermos a Sua vontade e nos afastarmos das coisas do mundo, asseverou o pastor, exortando a igreja a se posicionar com fé e a não sair do lugar da benção, assim como fizeram os herois da fé.

Deus é maior do que os seus problemas, afirmou o ministrante, assegurando que o tempo de fraqueza em que você andou por lugares errados é chegado ao fim. Deus está transformando você, trazendo ao seu coração sentimentos novos, os quais você achava que não mais teria. E Ele está fazendo isso porque olhou para o seu coração e achou graça salvadora. Ele está transformando o seu viver e quer se revelar a você. Ele está pronto a lhe ouvir. Fale com Ele qual é a sua dor, onde está o seu problema. Ele trará a cicatrização , um coração novo, concluiu o pastor, agradecendo pela vida, pela restauração, pelas portas abertas para a plena visitação do Senhor.

domingo, 10 de janeiro de 2010

Culto de Louvor e Adoração em 10-01-10


É tempo de louvar a Deus pelo que Ele é


Salmos 136
1 Louvai ao SENHOR, porque ele é bom; porque a sua benignidade dura para sempre.
2 Louvai ao Deus dos deuses; porque a sua benignidade dura para sempre.
3 Louvai ao Senhor dos senhores; porque a sua benignidade dura para sempre.
4 Aquele que só faz maravilhas; porque a sua benignidade dura para sempre.
5 Aquele que por entendimento fez os céus; porque a sua benignidade dura para sempre.
6 Aquele que estendeu a terra sobre as águas; porque a sua benignidade dura para sempre.
7 Aquele que fez os grandes luminares; porque a sua benignidade dura para sempre;
8 O sol para governar de dia; porque a sua benignidade dura para sempre;
9 A lua e as estrelas para presidirem à noite; porque a sua benignidade dura para sempre;
10 ¶ O que feriu o Egito nos seus primogênitos; porque a sua benignidade dura para sempre;
11 E tirou a Israel do meio deles; porque a sua benignidade dura para sempre;
12 Com mão forte, e com braço estendido; porque a sua benignidade dura para sempre;
13 Aquele que dividiu o Mar Vermelho em duas partes; porque a sua benignidade dura para sempre;
14 E fez passar Israel pelo meio dele; porque a sua benignidade dura para sempre;
15 Mas derrubou a Faraó com o seu exército no Mar Vermelho; porque a sua benignidade dura para sempre.
16 Aquele que guiou o seu povo pelo deserto; porque a sua benignidade dura para sempre;
17 Aquele que feriu os grandes reis; porque a sua benignidade dura para sempre;
18 E matou reis famosos; porque a sua benignidade dura para sempre;
19 Siom, rei dos amorreus; porque a sua benignidade dura para sempre;
20 E Ogue, rei de Basã; porque a sua benignidade dura para sempre;
21 E deu a terra deles em herança; porque a sua benignidade dura para sempre;
22 E mesmo em herança a Israel, seu servo; porque a sua benignidade dura para sempre;
23 ¶ Que se lembrou da nossa baixeza; porque a sua benignidade dura para sempre;
24 E nos remiu dos nossos inimigos; porque a sua benignidade dura para sempre;
25 O que dá mantimento a toda a carne; porque a sua benignidade dura para sempre.
26 Louvai ao Deus dos céus; porque a sua benignidade dura para sempre.

O ministrante do culto de louvor e adoração, Bispo Roberto Marques, iniciou sua preleção perguntando à igreja qual o motivo que nos leva a servir a Deus. O motivo está registrado nos Salmos 136: não é pelo que Ele faz, mas pelo que Ele é: o Deus dos deuses. O todo Poderoso. O El Shadai. Muitos adoram pelo motivo errado, afirma o bispo, repetindo o que diz o salmista. Não é pelo que Ele faz, mas pelo que Ele é. Não há outra forma de salvação a não ser sendo servos de Deus Altíssimo. Jesus Cristo é o nosso Senhor e nosso Salvador é Deus Pai. Se confessarmos isso com nossos lábios e não refletirmos em nossas atitudes, de nada adianta, afirma o ministrante.
Muitas vezes falamos com nossos lábios e não o fazemos com nossas atitudes e por esse motivo o nome de Deus é blasfemado entre os gentios.
Quando reconhecemos que Ele é Senhor de nossa vida e que Ele é bom, Ele opera milagres. Porque a Sua misericórdia dura para sempre, porque criou tudo e é Senhor de tudo. O diabo não tem nada. É um fracassado. Nem o inferno pertence a ele. Lá é a prisão onde nosso Deus vai lançar os seguidores de satanás. Não queira estar do lado dele. Sirva a Deus pelo motivo certo. Adore porque é Deus, é Senhor, é bom, porque fez, faz e continuará fazendo maravilhas em nossas vidas. Ele faz por amor de Seus filhos. Por amor de Seus servos. “Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito”, relata João 15:7.
O bispo afirma não acreditar em desviados, pois àquele que provou do Espírito, não cabe arrependimento. Muitos não são convertidos, servem a Deus pelo motivo errado. E quando vem a tribulação, as perseguições, abandona a fé, porque não tem raiz. Não está alicerçado. Independente do que nos acontece, devemos continuar servindo e adorando a Deus, ensinou o bispo. E isso não está e nem pode estar vinculado ao que Ele nos faz. Se Ele é nosso Deus e Senhor, vai cuidar de nós. Entretanto, muitos têm Deus como lacaio. Mas a palavra de Deus diz que devemos servi-Lo porque Ele é Deus. Nem sempre passamos luta porque estamos em pecado. A nossa santificação vem por Deus, não pelo sofrimento, mas por servir a Deus nada nos garante que não passaremos por luta. Devemos servir a Deus pelo que é, não pelo que faz, como nos quer fazer acreditar o diabo. É claro que Ele cura, liberta, transforma e opera maravilhas. E vai fazer isso se tocarmos Nele. Muitos servem a Deus na base do toma lá-dá-cá, afirmou o bispo, lembrando que um dos maiores posicionamentos da Bíblia foi o de Mizael, Ananias e Azarias, quando se viram diante do decreto do rei e não se prostraram diante dele.
Quando você serve a Deus pelo motivo certo, o Senhor estará contigo no meio da fornalha, assegurou o ministrante, exortando a Igreja a reconhecer a realeza de Deus. Como diz Habacuque 3: 17-18 “Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado; Todavia eu me alegrarei no SENHOR; exultarei no Deus da minha salvação.”
Não é porque Ele vai nos fazer coisas boas, mas é porque Ele é Deus. Nós gostamos do versículo Filipenses 4:3 “Tudo posso Naquele que me fortalece”, contudo, nos lembramos só de coisas boas e nos esquecemos de que podemos tudo, até ficar triste.
Ele quer que o adoremos em Espírito e em verdade e quando fazemos isso Ele realiza grandes coisas. Mas não é porque Ele realiza que o adoramos e sim o contrário. Buscai primeiro o Reino de Deus e a Sua justiça e todas as demais coisas serão acrescentadas.
A salvação é um ato unilateral de Deus. Ela vem pela graça. Não é pelas obras. Mas por termos sido salvos temos que fazer boas obras, para demonstrar a nossa salvação. Não fiquem acomodados, ensinou o pastor. Nada que fizermos nos garante a salvação, pois ela não é mérito humano. Porque Deus resolveu nos salvar e nos amar. Ele nos escolheu, nos acolheu. Deus nos tem em alta conta para nos dar preço de sangue. Por nós o Deus Filho morreu na cruz do calvário. Porque Deus é justo, Ele irá recompensar aqueles que O servem. Haverá separação entre os que O servem e os que não servem. A motivação de ser única, mas a recompensa vem pela justiça. Ele quer nos tocar e trazer livramento. Hoje, agora. O que você quer que Ele faça, perguntou o bispo, relatando a história do cego Bartimeu, que ouviu falar que Jesus libertava e curava. Ao ver Jesus exclamou: “Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim”. Nessa declaração ele confessa a realeza de Jesus e sua misericórdia. E Jesus pergunta, depois desse reconhecimento: o que queres que eu te faça. O que você quer hoje, repetiu o bispo. Você quer ser curado, ser liberto, ter seu problema solucionado? A graça de Deus é que alcança, porque Ele é Deus que opera maravilhosamente, assegurou, afirmando que Deus Todo Poderoso poderá fazer o que desejamos, se Nele colocarmos nossa confiança.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Culto da Vitória de 08-01-10


É tempo de conhecer o Deus vivo

O ministrante da noite, o Bispo Roberto, convidou a Igreja a ler o texto de Isaías 41:1-


1 Calai-vos perante mim, ó ilhas, e os povos renovem as forças; cheguem-se, e então falem; cheguemo-nos juntos a juízo.
2 Quem suscitou do oriente o justo e o chamou para o seu pé? Quem deu as nações à sua face e o fez dominar sobre reis? Ele os entregou à sua espada como o pó e como pragana arrebatada pelo vento ao seu arco.
3 Ele os persegue e passa em paz, por uma vereda por onde os seus pés nunca tinham caminhado.
4 Quem operou e fez isto, chamando as gerações desde o princípio? Eu o SENHOR, o primeiro, e com os últimos eu mesmo.
5 As ilhas o viram, e temeram; os fins da terra tremeram; aproximaram-se, e vieram.
6 Um ao outro ajudou, e ao seu irmão disse: Esforça-te.
7 E o artífice animou ao ourives, e o que alisa com o martelo ao que bate na bigorna, dizendo da coisa soldada: Boa é. Então com pregos a firma, para que não venha a mover-se.
8 Porém tu, ó Israel, servo meu, tu Jacó, a quem elegi descendência de Abraão, meu amigo;
9 Tu a quem tomei desde os fins da terra, e te chamei dentre os seus mais excelentes, e te disse: Tu és o meu servo, a ti escolhi e nunca te rejeitei.
10 Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça.
11 Eis que, envergonhados e confundidos serão todos os que se indignaram contra ti; tornar-se-ão em nada, e os que contenderem contigo, perecerão.
12 Buscá-los-ás, porém não os acharás; os que pelejarem contigo, tornar-se-ão em nada, e como coisa que não é nada, os que guerrearem contigo.
13 Porque eu, o SENHOR teu Deus, te tomo pela tua mão direita; e te digo: Não temas, eu te ajudo.
14 Não temas, tu verme de Jacó, povozinho de Israel; eu te ajudo, diz o SENHOR, e o teu redentor é o Santo de Israel.
15 Eis que farei de ti um trilho novo, que tem dentes agudos; os montes trilharás e moerás; e os outeiros tornarás como a pragana.
16 Tu os padejarás e o vento os levará, e o redemoinho os espalhará; mas tu te alegrarás no SENHOR e te gloriarás no Santo de Israel.
17 Os aflitos e necessitados buscam águas, e não há, e a sua língua se seca de sede; eu o SENHOR os ouvirei, eu, o Deus de Israel não os desampararei.
18 Abrirei rios em lugares altos, e fontes no meio dos vales; tornarei o deserto em lagos de águas, e a terra seca em mananciais de água.
19 Plantarei no deserto o cedro, a acácia, e a murta, e a oliveira; porei no ermo juntamente a faia, o pinheiro e o álamo.
20 Para que todos vejam, e saibam, e considerem, e juntamente entendam que a mão do SENHOR fez isto, e o Santo de Israel o criou
.


O ministrante mostrou como Deus opera, quem faz com que as nações se submetam, e como Ele nos chama para um acerto e aí o mundo se apavora e em vez de vir se acertar com Deus procura fazer para si um Deus. Esculpe, molda, alisa com o martelo, solda uma matéria inanimada, fixa com o prego para que não cai e as chama de deus. Quando geramos medo, procuramos criar um deus que nos socorra. Mas, assegurou o bispo, não há outro Deus no qual possamos encontrar salvação. Somente aqueles que sabem que a imagem tem ouvidos e não ouvem, tem olhos e não veem, que são deuses a serviço do homem, não se deixam cair nessa história.
O bispo contou a história de seu bisavô que, sabendo da situação de uma mulher
Uns fazem para outros adorarem. Uns fazem e adoram. Sabem do que foi feito. Mas o homem procura criar deuses e divindades superiores para diminuir o seu medo, em vez de buscar ao verdadeiro Deus. Que é Deus desde o início da eternidade. O artífice monta a sua imagem e diz: aqui está o nosso Deus, disse o ministrante contando o episódio de Jeroboão que fez dois bezerros de ouro. Mas nós não precisamos criar um Deus porque já temos um soberano que nos escolheu, que nos separou e para aqueles que Ele escolheu Ele diz: “não temas, porque Eu sou contigo”. Aqueles que estão contra você serão confundidos porque Deus não deixará que o inimigo prevaleça, assegurou o bispo. Não temas, pois o mundo procura deuses para ajudar, mas quem serve ao Deus vivo não precisa disso. Ele nos anima, nos capacita, nos dá destreza e nos ajuda na batalha. O Senhor é a nossa rocha e não seremos abalados. A vitória Dele na sua vida virá por meio de suas próprias mãos afirmou o bispo. Ele capacitará e vai usar aquele que se dispõe a seguir as Suas palavras.
O Senhor nos reveste de autoridade e nos dá poder. Nessa noite de vitória o Senhor está dizendo isso. Não tenha medo. Medo gera idolatria. Quem tem um Deus poderoso já é um vencedor. Veja o que faz Deus: em vez de ser um homem moldando uma divindade, é a divindade moldando o ser para ser forte. Se você não tem forças, Ele lhe dará forças e lhe fará um valente e seus inimigos verão como Deus estará lhe dando intrepidez para romper nas mais difíceis situações. Por meio de suas próprias mãos o inimigo será espalhado. Deus está dizendo isso: vai espalhar os seus inimigos. Para os servos de Deus não há coincidência, ou acaso. Deus planeja para o Seus filhos e tem o melhor. O justo é como uma árvore frondosa regada pelo Senhor. Como um carvalho que se cerca do ribeiro. Você é árvore frondosa? Você se cerca de águas limpas, ou se deixa contaminar pelas águas do mundo? Deus olha para você e quer lhe ver grande, liberto do domínio da escravidão e da opressão. As escolhas de Deus são as mais certas, mas Deus usa as coisas que não são para envergonhar as que não são. Deus levanta derrotados, amargurados e os ergue para derrotar os inimigos. Não tema. Ele vai usar as suas mãos para lhe abençoar. Deus está agindo, garantiu o bispo, perguntando se há algum aflito e necessitado. O Senhor está dizendo: quantos no mundo não estão procurando um refrigério nas macumbas, nos lugares errados. Eles procuram água, mas não encontram. Deus está dizendo que aquele que busca no lugar certo encontrará. Quando vimos mencionadas estas quatro árvores devemos saber que são símbolos de abundancia, ensinou o bispo. O cardo, a espinheira são sofrimento, mas Deus transforma isso. É o que Ele diz que plantará no deserto. E ele florescerá. Se a sua vida é esse deserto, deixe que Deus aja nele, pois o Seus povo não é um povo idólatra, mas um povo que quer ser abençoado pelo Deus vivo.