Localização da ICMV

Localização da ICMV

domingo, 26 de dezembro de 2010

Culto de Santa Ceia da noite de 26-12-2010



É tempo de dar continuidade ao que foi iniciado

O ministrante da noite, o Bispo Roberto Marques ministrou a Ceia do Senhor depois de ler com a Igreja I Coríntios 11: 23-34
23 Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão;
24 E, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós; fazei isto em memória de mim.
25 Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória de mim.
26 Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha.
27 Portanto, qualquer que comer este pão, ou beber o cálice do Senhor indignamente, será culpado do corpo e do sangue do Senhor.
28 Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma deste pão e beba deste cálice.
29 Porque o que come e bebe indignamente, come e bebe para sua própria condenação, não discernindo o corpo do Senhor.
30 Por causa disto há entre vós muitos fracos e doentes, e muitos que dormem.
31 Porque, se nós nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados.
32 Mas, quando somos julgados, somos repreendidos pelo Senhor, para não sermos condenados com o mundo.
33 Portanto, meus irmãos, quando vos ajuntais para comer, esperai uns pelos outros.
34 Mas, se algum tiver fome, coma em casa, para que não vos ajunteis para condenação. Quanto às demais coisas, ordená-las-ei quando for.

O ministrante lembrou que estamos a cinco dias do final do ano de 2010. É a semana da retrospectiva. É a hora em que todos fazem o balanço do ano, projetos para o próximo ano. Você se lembra das metas que assumiu ao final do ano passado, perguntou o bispo, citando Provérbios 22: 28 “Não removas os antigos limites que teus pais fizeram”. E explicou que não devemos deixar as nossas metas, os nossos alvos determinados. Não podemos deixar a nossa referência, ensinou. Podemos até visar novas metas, mas não devemos abandonar as que não alcançamos. É preciso terminar o que nos propusemos a fazer. É preciso ter objetivos e não deixá-los no caminho. É preciso dar continuidade ao que nos propusermos a fazer senão nunca terminaremos o que iniciamos. A Igreja Cristã Manancial de Vida sempre coloca ao início de cada ano balizadores, nos quais se orienta ao longo do ano. No ano de 2010 foram quatro: pastorear, florescer, frutificar, colher. Pastorear não é atividade só dos pastores, todos devem fazer isso e para tal é preciso uma verdadeira conversão. Pastorear os irmãos é levá-los ao caminho, caminhar com eles, cuidando, dando força. Quem quer ser pastoreado, precisa saber pastorear. Na medida em que você fizer, você receberá, afirmou o ministrante. Esse balizador não se encerra ao final do ano, mas deve ser perseguido ainda em 2011, exortou o bispo, perguntando à Igreja se pastoreou esse ano. A vinda do Senhor Jesus não tarda, por isso o tempo esta sendo remido por Deus. Florescer é outra meta, mas para a planta só floresce depois de ter nascido. Florescer é uma preparação para a colheita. É na florescência que a planta atrai com seu perfume e sua beleza. O florescer é para você chame a atenção do mundo para você. As pessoas precisam olhar para você e perceber o perfume de Cristo. Você precisa florescer e atrair as pessoas para que elas se aproximem do Reino de Deus. Em João 15:16 o Senhor nos diz que precisamos dar frutos. Quantas vidas você trouxe para Jesus? Se pelo menos uma por ano, você já provocou um crescimento de mais de 100 por cento porque também deve ensinar essa pessoa a fazer o mesmo. Há muitas pessoas que frutificam, mas o fruto cai. É preciso consolidar o fruto até que ele fique maduro e esteja pronto para colher. Quem vai colher as vidas que você gerou é Deus, afirmou o ministrante. Não abandonemos as nossas metas. Não deixemos no meio do caminho o que iniciamos. Vá até o final, ensinou o bispo. Um vencedor é conhecido por sua persistência. Ele jamais abandona o barco. Ele segue firme até a vitória, mesmo com os entraves. Não tire os marcos antigos. Mantenha-os sempre à vista. Deus tem projetos para você. Não abra mãos dos seus planos. Saiba esperar e continue trabalhando. Se não foi esse ano, será no próximo. Não devemos ser imediatistas, querer ver as coisas acontecendo instantaneamente. Um dia certamente colheremos, por isso precisamos plantar e saber esperar a colheita.
Faça a retrospectiva de sua vida. Se não conseguiu, não retroceda. Ao contrário, vá a frente. Não pare se encontrar um obstáculo, mas use-o como um degrau para subir, ensinou o bispo, abençoando a Igreja.

domingo, 12 de dezembro de 2010

Culto da manhã de domingo de 12-12-2010



É tempo de viver um verdadeiro arrependimento

O ministrante da manhã, o Bispo Roberto Marques, iniciou a preleção lendo com a Igreja os Salmos 118 abençoando o povo em nome de Jesus, depois de glorificar a Deus e declarar a vitória do Senhor na vida da Igreja.
Nesta manhã o tema é o ministério de Jesus, disse o bispo lembrando que estamos no período em que se comemora o nascimento de Jesus, na data escolhida pelo mundo, embora, independente das discussões sobre a procedência dela, o que nos importa é saber que Jesus nasceu e veio para nos salvar e nos livrar do pecado imputado sobre a humanidade. Essa data foi escolhida para festejarmos e nos alegramos com a vinda do nosso Senhor. Jesus chegou com a missão de ser rei. Foi isso que o anjo Gabriel disse a Maria, quando anunciou seu nascimento. O ministério de Jesus é ser rei, ser Senhor, mas não com a ideia de majestade e de nobreza que os homens têm. Jesus nasceu numa estrebaria, na menor cidade de Judá, em Belém Efrata, enquanto os reis nascem em palácios, explicou o bispo.
Jesus nasceu e viveu trinta anos vivendo como um ser humano comum. Fez o que uma criança faria, a única coisa que não fez foi transgredir, sair do alvo. Ele não pecou. Há muitas coisas em nossas vidas que não é pecado, comer, ir ao futebol, ao cinema, tudo isso pode ser santo. A diferença está na forma como nos conduzimos. Jesus veio para nos dar o direito de escolha, de escolher o certo, o bom, o que é perfeito. Depois de 30 anos começa o seu ministério, não o de governo, mas de deixar os ensinamentos para que seus seguidores pudessem caminhar conforme a vontade de Deus. Ele caminhava ensinando. Alguns pensam que Ele veio para curar, para libertar e expulsar os demônios. Ele fez tudo isso, mas não foi o seu principal ministério. Ele veio para trazer vida e salvação. Ele mostrava princípios básicos e essenciais da fé a partir de parábolas, mas pegava situações que vivenciava e não perdia a oportunidade de ensinar. Em João 8:1-11
1 Jesus, porém, foi para o Monte das Oliveiras.
2 E pela manhã cedo tornou para o templo, e todo o povo vinha ter com ele, e, assentando-se, os ensinava.
3 E os escribas e fariseus trouxeram-lhe uma mulher apanhada em adultério;
4 E, pondo-a no meio, disseram-lhe: Mestre, esta mulher foi apanhada, no próprio ato, adulterando.
5 E na lei nos mandou Moisés que as tais sejam apedrejadas. Tu, pois, que dizes?
6 Isto diziam eles, tentando-o, para que tivessem de que o acusar. Mas Jesus, inclinando-se, escrevia com o dedo na terra.
7 E, como insistissem, perguntando-lhe, endireitou-se, e disse-lhes: Aquele que de entre vós está sem pecado seja o primeiro que atire pedra contra ela.
8 E, tornando a inclinar-se, escrevia na terra.
9 Quando ouviram isto, redargüidos da consciência, saíram um a um, a começar pelos mais velhos até aos últimos; ficou só Jesus e a mulher que estava no meio.
10 E, endireitando-se Jesus, e não vendo ninguém mais do que a mulher, disse-lhe: Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou?
11 E ela disse: Ninguém, Senhor. E disse-lhe Jesus: Nem eu também te condeno; vai-te, e não peques mais.
Jesus veio para ensinar a você a ter uma vida plena para agradar a Deus e quando você quer agradar a Deus vai encontrar resistência. Jesus encontrou muita resistência principalmente dos religiosos. Mas Ele não se acovardava, não fugia, e não brigava. Nessa passagem vemos que houve uma controvérsia. Jesus pregava o amor, o perdão e também o cumprimento da lei. Se Ele falasse “cumpra a lei”os fariseus se achariam certos. Se Ele dissesse “perdoa os pecados”, eles diriam “quem é Ele?” Entretanto, Ele agiu com sabedoria. Abaixou-se e começou a escrever, enquanto os fariseus insistiam na pergunta. Então Ele levantou e fez a sábia exortação voltando a escrever no chão. Pode ser que alguns daqueles não se acusam de adultério, mas outros pecados não foram mencionados naquele momento: blasfêmia, usura, maledicência, mas o pecado condenado socialmente, o adultério. Jesus. Na medida que medimos seremos medidos. Se achamos que o pecador deve morrer, então devemos nos preparar para morrer. Em alguma área da nossa vida nós falhamos, por isso devemos nos preparar para a condenação naquilo que condenamos os outros. Nenhum de nós fomos chamados para ser juízes de alguém. Quem somos nós para julgar os ervo alheio. Poderoso é Deus para nos manter em pé. Se não for pela misericórdia de Deus não somos destruídos, porque Ele pagou o preço e a sentença era a morte. Jesus Cristo morreu em nosso lugar e nos trouxe vida em abundancia. Os fariseus se foram porque não tinham argumentação, pois contra fatos não há argumentos. Você deve mostrar o pecado, mas amar o pecador. Deve mostrar para ele que deve deixar a prática do pecado, sabendo que Jesus perdoa.
Remorso é diferente de arrependimento, explicou o bispo. Remorso foi o que ocorreu com os fariseus. Arrependimento é não voltar ao mesmo erro. Essa é a palavra que Deus mandou a você, nessa manhã. Você não está para condenar, mas para ajudar a salvar o pecador. Como servo de Deus você deve cumprir a missão para a qual foi chamado. Você não deve compactuar com o pecado, nem ter comunhão com aqueles que o praticam, mas isso é diferente de amar o pecador e exortá-lo a sair do erro, tornando-se para Jesus. Você deve, como servo, fazer com que o pecador veja seu erro e não peque mais.
Jesus disse à pecadora para que mudasse de vida, embora não a tivesse condenado. Infelizmente há muitos fariseus modernos. Para essas pessoas, há pecados que Jesus não perdoaria. Não seja fariseu, não seja acusador, deixe isso para o diabo que já faz isso muito bem. Seja imitador de Deus, perdoe, libere perdão. Alerte seu irmão sobre o pecado em que ele está incorrendo, mas não o condene. A Igreja tem o poder de perdoar os pecados desde a aparição de Cristo aos apóstolos e continua com esse poder. Tiago 5:16 disse: “Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos”. Em você há autoridade para liberar uma palavra de exortação e de perdão. Ensine as pessoas a ter uma vida digna, e a andar nos caminhos do Senhor. Há pessoas que se dizem arrependidas, mas não mudam de atitudes. Muitos estão na igreja fazendo as mesmas coisas que faziam no mundo, repetindo os mesmos erros, mesmo quando são exortados a deixar o pecado.
Não seja como os fariseus, concluiu o bispo. Arrependa-se e não peque mais.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Culto da vitória de 10-12-2010



É tempo de nos fortalecer na fraqueza

O ministrante da noite, o Bispo Roberto Marques, citou Romanos 8: 31 Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? lembrando a Igreja que somos mais d que vencedores e leu com a Igreja 2 Coríntios 12: 1-10
1 Em verdade que não convém gloriar-me; mas passarei às visões e revelações do Senhor.
2 Conheço um homem em Cristo que há catorze anos (se no corpo, não sei, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe) foi arrebatado ao terceiro céu.
3 E sei que o tal homem (se no corpo, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe)
4 Foi arrebatado ao paraíso; e ouviu palavras inefáveis, que ao homem não é lícito falar.
5 De alguém assim me gloriarei eu, mas de mim mesmo não me gloriarei, senão nas minhas fraquezas.
6 Porque, se quiser gloriar-me, não serei néscio, porque direi a verdade; mas deixo isto, para que ninguém cuide de mim mais do que em mim vê ou de mim ouve.
7 E, para que não me exaltasse pela excelência das revelações, foi-me dado um espinho na carne, a saber, um mensageiro de Satanás para me esbofetear, a fim de não me exaltar.
8 Acerca do qual três vezes orei ao Senhor para que se desviasse de mim.
9 E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo.
10 Por isso sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco então sou forte.


Paulo começa a falar a respeito e revelações de Deus, explicou o ministrante, afirmando que Deus tem visões e revelações para a sua vida. Ele está revelando e descobrindo os mistérios para a sua vida, disse o bispo explicando que não devemos ficar preocupados com aquilo que Ele não revelou. Mas Ele tem propósitos que revela e o faz a quem quer. Deus tem preparado coisas tremendas para aqueles que O amam. Se você ama a Deus, saiba que Ele tem preparado revelações para você. Assim como revelou a Paulo coisas inefáveis, indescritíveis, Ele fará com você. mas é importante se lembrar, afirmou o bispo, que não podemos nos gloriar em nós, mas em Deus. Quando achamos que somos fortes, somos fracos, mas quando nos sentimos fracos, aí somos forte, porque a graça de Deus nos basta e nos restaura. Na visão de Deus é assim que funciona, porque o poder de Deus se aperfeiçoa na nossa fraqueza. É interessante observar que Deus não usa pessoas perfeitas, mas homens naturais, afirmou o ministrante lembrando que até os super heróis têm suas fraquezas. A Paulo foi dado um espinho na carne para que não se gloriasse nele, mas que refletisse o poder de Deus ensinou o bispo afirmando que não há problema em ter ambições, metas na vida, o que é errado é o orgulho, a soberba, porque quem assim age será abatido. Aquele que confia no Senhor e não em suas forças vai além do pensa ou imagina, enquanto aquele que confia em si mesmo não se sustenta.
Em um momento de sua vida, Paulo precisou depender de outro para escrever, sendo ele tão erudito e letrado. O mesmo acontece conosco.
Todo homem precisa de uma mulher que o ajude em oração, que o sustente em seu ministério e a Bíblia não faz menção sobre o fato de Paulo ser casado ou viúvo, sobre o espinho de Paulo especula-se que seja o abandono de sua esposa, dentre outras possíveis causas. Não sabemos qual era espinho, entretanto o que Paulo queria era que o espinho fosse retirado, e Deus disse que não tiraria, mas daria graça para que suportasse. Assim também Ele nos faz: não nos d’o que queremos ou pedimos, mas o que precisamos e nem sempre é o que pedimos. Pode ser que Ele não nos tire o espinho, mas com certeza nos dará graça. Não queira esconder suas fraquezas e mostrar a força, antes mostre a fraqueza para que o poder de Deus se aperfeiçoe, exortou o bispo. Aquele que é injuriado pode se alegrar, é comum que se inventem mentiras sobre os que estão no caminho de Deus, para tentar derrubar. Não é preciso se defender, a verdade chega a seu tempo. Você não precisa provar nada, nem provar a existência de Deus, Ele não tem mesmo existência no sentido lato do termo. Existência pressupõe um período e Deus não tem início nem fim, portanto não cabe na definição de existência, explicou o bispo, citando a campanha dos agnósticos que lançou a dúvida: “Pode ser que Deus não exista”. Deus, de fato, não existe. Ele é, sem intervalo de existência.
Quando você é fraco é que é forte, reiterou o ministrante, citando Paulo quando disse aos Filipenses 4:13 “Posso todas as coisas Naquele que me fortalece”.

domingo, 5 de dezembro de 2010

Culto da manhã de domingo de 05-12-2010



É tempo de profetizar mudança


A ministrante da manhã, a Pastora Andréia Hermes, iniciou a palavra agradecendo pela noite chuvosa, lembrando que a chuva traz algo novo, relacionando ao fato de que em geral ao final do ano temos um costume de fazer planos e muitos deles nem sempre se realizem.
Compartilhando com a Igreja Ezequiel 37:1- 14 a pastora trouxe a mensagem do Senhor:


1 Veio sobre mim a mão do SENHOR, e ele me fez sair no Espírito do SENHOR, e me pôs no meio de um vale que estava cheio de ossos.
2 E me fez passar em volta deles; e eis que eram mui numerosos sobre a face do vale, e eis que estavam sequíssimos.
3 E me disse: Filho do homem, porventura viverão estes ossos? E eu disse: Senhor DEUS, tu o sabes.
4 Então me disse: Profetiza sobre estes ossos, e dize-lhes: Ossos secos, ouvi a palavra do SENHOR.
5 Assim diz o Senhor DEUS a estes ossos: Eis que farei entrar em vós o espírito, e vivereis.
6 E porei nervos sobre vós e farei crescer carne sobre vós, e sobre vós estenderei pele, e porei em vós o espírito, e vivereis, e sabereis que eu sou o SENHOR.
7 então profetizei como se me deu ordem. E houve um ruído, enquanto eu profetizava; e eis que se fez um rebuliço, e os ossos se achegaram, cada osso ao seu osso.
8 E olhei, e eis que vieram nervos sobre eles, e cresceu a carne, e estendeu-se a pele sobre eles por cima; mas não havia neles espírito.
9 E ele me disse: Profetiza ao espírito, profetiza, ó filho do homem, e dize ao espírito: Assim diz o Senhor DEUS: Vem dos quatro ventos, ó espírito, e assopra sobre estes mortos, para que vivam.
10 E profetizei como ele me deu ordem; então o espírito entrou neles, e viveram, e se puseram em pé, um exército grande em extremo.
11 Então me disse: Filho do homem, estes ossos são toda a casa de Israel. Eis que dizem: Os nossos ossos se secaram, e pereceu a nossa esperança; nós mesmos estamos cortados.
12 Portanto profetiza, e dize-lhes: Assim diz o Senhor DEUS: Eis que eu abrirei os vossos sepulcros, e vos farei subir das vossas sepulturas, ó povo meu, e vos trarei à terra de Israel.
13 E sabereis que eu sou o SENHOR, quando eu abrir os vossos sepulcros, e vos fizer subir das vossas sepulturas, ó povo meu.

14 E porei em vós o meu Espírito, e vivereis, e vos porei na vossa terra; e sabereis que eu, o SENHOR, disse isto, e o fiz, diz o SENHOR.

A pastora lembrou que aquele povo escolhido por Deus estava sendo oprimido por conta de seu pecado. Era um povo escolhido para ter as bênçãos de Deus vivia um intenso sofrimento. Ezequiel estava nesse contexto, mas, diferentemente do povo, esperava no Senhor e levou a eles uma palavra profética para trazer ao povo uma palavra de conserto.
Quando Deus o leva ao vale de ossos secos, mostra que pode fazer a diferença no meio daquele povo que se distanciava do Senhor. Deus fez com que andasse no meio dos ossos. Também a nós Deus quer nos dar uma palavra: Deus não quer que esperemos o próximo ano para mudar, para fazer planos e depois abandoná-los no meio do caminho.
Era um vale cheio, o que nos lembra que fazermos muitas coisas sem a presença de Deus nada adianta. Deus quer mostrar que onde o homem não pode mais fazer é ali que Ele quer agir.
Quando pensamos que o casamento está desfeito e já não há mais nada a fazer, o filho não entra no caminho da verdade, a situação financeira está um caos, é ai que Deus nos leva ao vale de ossos secos e nos mostra que ainda há esperança. Deu levou Ezequiel àquele vale para mostrar que ainda havia esperança para aquele povo. É quando você pensa que chegou o fim de suas esperanças que Deus lhe mostra que Ele pode agir. Foi essa a experiência das irmãs de Lázaro. Quando ele já estava morto, sem vida, fétido, Jesus mostrou que havia vida.
Muitas pessoas até ouvem a palavra, mas não percebem o que Deus está querendo fazer. Estão na igreja, entram e saem da mesma forma. Mas Deus deseja seu povo avivado. Ele quer uma igreja que se movimente. Muitos vêm aos domingos, ouvem a palavra e voltam para suas vidas como se fossem ossos secos. Estão dormindo e precisam acordar para as coisas de Deus, pois o tempo está passando. Jesus está para voltar e pode nos encontrar sem vida, como ossos secos. Muitos dizem que estão desanimados, frustrados, cansados, entristecidos, mas Deus quer restaurar essas vidas. Vejamos o versículo 3. Muitas vezes não sabemos o que fazer, mas se estamos nessa situação é porque Deus tem algo para nós. A palavra certa que deve sair de nossas bocas é: Senhor tu sabes. É difícil saber o que fazer, os outros não podem dimensionar o nosso sofrimento, mas temos que ter um posicionamento de fé. Para nós pode ser difícil passar no concurso, salvar o casamento, pagar as dívidas, mas para Deus não há impossíveis. E devemos saber que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus.
A palavra de Deus é a própria vida. Nela está a essência para o que precisamos. Muitas vezes causamos os nossos próprios problemas porque não vivemos como Deus determina. Não seguimos os seus preceitos. E para vivermos o melhor de Deus precisamos obedecer e viver a palavra. Não como entendemos, mas como Deus determina. Não precisamos buscar em lugar algum, já temos a resposta na palavra. Em Hebreus Hebreus 4:1 vemos: “Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração.”
Só a palavra de Deus pode nos orientar, reafirmou a pastora.
Imaginemos a cena dos ossos se juntando, ponderou a pastora, conclamando a Igreja a fazer também esse movimento, exortando o povo a organizar a desordem de sua vida. Uma vida sem Deus, é uma vida sem ordem. É uma vida na qual não sabemos o que está acontecendo. Quando fazemos uma faxina em casa, podemos entender esse processo. Tiramos tudo da ordem para depois tentar encontrar um lugar para aquilo que juntamos. Muitas vezes não precisamos do que guardamos, ou muitas coisas estão completamente fora do lugar que deveriam. Nessa hora, vemos que precisamos jogar fora muita coisa: sentimentos, atitudes que não nos deixam enxergar o que Deus tem para nós.
O momento propício é agora. Não é o início do ano. Não paramos para ver o lixo que acumulamos e as coisas imundas que guardamos. Precisamos as coisas em ordem. Nossos pensamentos, nossas emoções, tudo precisa estar em ordem, reafirmou a ministrante.
Muitas vezes conquistamos tantas coisas, emprego, casa, relacionamento. Mas vemos que falta algo. Não adianta nada ter tudo se não houver Deus nisso tudo. Deus diz: profetiza, continua, porque há muito mais para você. Tudo que temos ou somos é para que a glória de Deus se manifeste. Essa é a palavra de Deus para nós: soprar para levar vida onde há morte. Deus quer que levemos vida, que profetizemos vida onde quer que estejamos. Mas para isso precisamos nos posicionar e a profetizar em cada área de nossa vida. Deus não terminou sua obra e se você está aqui precisa se posicionar.
Não importa qual o vale pelo qual você está passando. Pode ser o vale do abandono, da desesperança, das dificuldades financeiras. Mas Deus está lhe dizendo que esse não é o seu fim. Jesus também passou pelo vale. Ele foi abandonado, foi injuriado, foi desprezado e venceu. Ele quer atravessar com você o seu vale. Se você quer se levantar e quer continuar a andar como aquele exército poderoso, restaurado e vivificado.
Profetiza! Concluiu a ministrante,
Bênção e maldição está no poder da nossa palavra. Então profetiza bênçãos, acrescentou o bispo Roberto, antes de ministrar a bênção final, afirmando que não é outro, mas nós é que podemos mudar as coisas. Tudo o que proferirmos, se creditarmos, assim será.

domingo, 28 de novembro de 2010

Culto de Santa Ceia da Manhã de Domingo de 28-11-2010



É tempo de fazer escolhas certas

O ministrante da manhã, o Bispo Roberto Marques, depois de ler os Salmos 121, responsivamente com a Igreja, anunciou que esse é um dia especial porque é dia de Santa Ceia. E falando sobre a importância da comunhão, afirmou que sentar-se à mesa é ato que fazemos com aqueles com os quais partilhamos de intimidade. E nessa manhã o convite é para nos sentarmos não à mesa da Manancial, mas à mesa do Senhor e estamos aqui para celebrar um momento de vida, de gozo, de alegria, porque Jesus instituiu a ceia em um momento ímpar de seu ministério. A comunhão é algo essencial à Igreja, afirmou o bispo e a Ceia é um ato de declaração dessa importância.
A palavra da manhã é sobre a tomada de decisão. Muitos agem dependendo da sua vontade, mas a questão não é essa. O que está em questão é a sua decisão, afirmou o bispo, porque muitas vezes a sua vontade está errada e está ligada ao seu coração, afirmou citando Jeremias “o coração do homem é enganoso”. A primeira declaração depois da queda do homem, depois que o homem teve a oportunidade de escolha e fez a sua vontade e não a de Deus, é Deus falando a Caim em Gênesis 4:1-7
1 E conheceu Adão a Eva, sua mulher, e ela concebeu e deu à luz a Caim, e disse: Alcancei do SENHOR um homem.
2 E deu à luz mais a seu irmão Abel; e Abel foi pastor de ovelhas, e Caim foi lavrador da terra.
3 E aconteceu ao cabo de dias que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao SENHOR.
4 E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura; e atentou o SENHOR para Abel e para a sua oferta.
5 Mas para Caim e para a sua oferta não atentou. E irou-se Caim fortemente, e descaiu-lhe o semblante.
6 E o SENHOR disse a Caim: Por que te iraste? E por que descaiu o teu semblante?
7 Se bem fizeres, não é certo que serás aceito? E se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo, mas sobre ele deves dominar.
A escolha é que faz a diferença, garantiu o ministrante, lembrando que ninguém vai ser condenado pela sua vontade, mas por suas escolhas. As pessoas hoje estao mais ligadas aos sentimentos e tomam decisões baseadas neles e não na vontade do Senhor. O livre arbítrio está ligado à decisão, à escolhas que devem ser pautadas em Deus. Neste texto de Gênesis fica clara a vontade de Deus, Ele não deixa dúvidas. Ele é bem claro no que Ele aceita e no que não aceita. Mas Caim ficou irado com a recusa de Deus. Ele se irou contra a decisão de Deus, não foi contra Abel, porque o Senhor não aceitou a sua oferta. Ele decaiu seu semblante
A bíblia diz que irar não é pecado, o erro é continuar irado, em deixar que se torne em rancor, em pecado. Irar–se e comunicar a ira não é pecado, mas a retenção sim. Se você fizer o que é correto será aceito. Isso mostra que Caim não fez o que era correto na sua oferta. Deus só vai aceitar de sua mão aquilo que Ele determinou. Não é conforme a sua vontade, mas conforme a vontade Dele. Muitas vezes ficamos irados com Deus, quando queremos que Ele faça a nossa vontade e não a Dele. Pecado significa errar o alvo. E o alvo é a vontade de Deus. Quando você faz o que quer, segundo seus sentimentos e não o que Deus determinou, você saiu do alvo. Muitas vezes a nossa vontade é contra nós, é errar o alvo, contra a determinação de Deus. Não adianta justificar que a vontade é mais forte do que nós, porque Deus nos deu controle sobre a nossa vontade. a nós compete dominar a nossa vontade e ficar dentro do alvo de Deus. O que tem que prevalecer é a obediência à palavra de Deus e não a nossa vontade. a vontade de Deus é que perdoemos o irmão, ainda que isso não seja a nossa vontade, reiterou o ministrante. Não adianta a fachada, precisamos escolher certo. Seremos julgados pela nossa escolha. O maior exemplo que temos de tomada correta de decisão é Jesus no Getsemani. Jesus teve que escolher, que exercer o seu livre arbítrio. Todos temos a possibilidade de escolher o certo ou o errado. Jesus não escolheu o que era a sua vontade, mas a do Pai. Ele declara a Deus a sua vontade: “Pai, se possível passe de mim esse cálice”. Ele ora por m=um tempo e encontra seus discípulos dormindo e os exorta a vigiar e a orar, afirmando que o espírito está pronto, mas a carne é fraca. Ele quer que entendamos com seu exemplo que é preciso abrir mão de nossas vontades e fazer a escolha certa. A escolha é sua, assegurou o bispo. As nossas escolhas devem ser dentro da vontade de Deus. Você pode escolher tanto o certo como o errado, afirmou, ensinando que fomos libertos por Jesus para termos opções de escolha e seremos condenados não pela vontade, mas pela decisão a qual seguimos. Devemos controlar nossa vontade, ensinou o ministrante, porque ela tende para a carne, para o pecado, para o que é contra Deus. E Ele está falando para você escolher o que é certo. Muitas vezes você não vai à Igreja porque não tem vontade, mas é na casa de Deus que você será alimentado, explicou o bispo, lembrando o exemplo de sua esposa, que após uma depressão pós parto não sentia vontade de sair de casa, nem mesmo de ir à Igreja, mas não fez a sua vontade, insistiu em ir e não sair da comunhão, porque ali foi curado. Em momentos de crise nossa vontade é a de afastar, mas não é essa a escolha certa. É nos momentos de crise que temos que insistir na comunhão, porque a bíblia ensina que é na comunhão dos santos que somos revigorados. Não é verdade que o tempo cura, ele faz é afastar. Quando temos algo errado, ou que nos incomoda não podemos dar tempo para que se resolva, precisamos ir e resolver. Perdoe a quem perdoar, a ordem é ir e acertar com o irmão rapidamente, mesmo que a nossa vontade seja a de não ir. Temos que abrir mão de nossos direitos e perdão é abrir mão de nossos direitos, ainda que estejamos certos. Essa é a escolha certa, afirmou o bispo, há coisas que não são condicionais, são determinações e devem ser cumpridas. A primeira é receber Jesus como Senhor, depois é se batizar, não é preciso sentir, é preciso obedecer a determinação de se batizar. Minha escolha correta fará com que Deus me recompense. Ele aceitará a minha oferta. Devemos falar como Jesus: “cumpra em mim a tua vontade”, mesmo que isso represente perda. A oração de Maria mostra isso. Quando ela recebe a mensagem de que seria a mão do Senhor. Ela não compreendia como se daria isso, pois seria considerada adúltera, mas ouviu a voz do anjo e obedeceu. A escolha era a morte, se ouvisse o anjo, mas disse: cumpra-se em mim a tua vontade. Deus não deixará que você se perca se fizer a vontade Dele. Peça a Deus para lhe ensinar a fazer a decisão correta.

domingo, 21 de novembro de 2010

Culto da Manhã de Domingo de 21-11-2010




É tempo de compreender o que é santificação


O ministrante da manhã, o Pastor Luiz Nolasco iniciou a preleção lendo I Pedro 1:14-16 “Como filhos da obediência, não vos amoldeis às paixões que tínheis anteriormente na vossa ignorância; pelo contrário, segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos em todo o vosso procedimento, porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo." E assim, reafirmou a palavra que Deus tem dado à Igreja: santidade. Sempre que pensamos nessa expressão a relacionamos com a imagem de santidade de Deus. Mas deve vir a nossa mente a idéia de que se Deus é santo e nós somos pecadores, como Ele se comunica conosco? Esse entendimento de santidade é equivocado, porque apesar da palavra santo significar “separado”, a intenção de Deus não é se separar de nós, colocando uma barreira, porque somos pecadores. Separação não tem esse significado em sua origem. Santidade é sinônimo de comunhão. Vejamos isso em Salmos 40: 1-2 “Esperei com paciência no SENHOR, e ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor. Tirou-me dum lago horrível, dum charco de lodo, pôs os meus pés sobre uma rocha, firmou os meus passos.”.
O salmista estava em uma triste situação de pecado e Deus se inclinou para ele e o tirou dessa condição vergonhoso. Por que Deus se inclinaria para um pecador se Ele quisesse separação e não comunhão?
Ezequiel 34: 11 também nos mostra isso “Porque assim diz o Senhor DEUS: Eis que eu, eu mesmo, procurarei pelas minhas ovelhas, e as buscarei.” Se Ele busca os que estão perdidos e em pecado, isso significa que Ele não quer separação, conforme entende o mundo, mas Deus quer nos separar para ter comunhão conosco.
E ele disse a você “Eu sou santo e quero ter contigo algo a mais”. Por isso você deve ser separado. A palavra santo no hebraico é “kadoshi” e não guarda a ideia de um Deus distante que obstrui, mas que separa por ser especial. Você é especial para Deus e Ele se faz especial para você. Esse é o entendimento. Como nós pecamos e erramos por falta de entendimento. Deus quer se separar para você, e quer que você se separe para Ele. A ideia de santidade é essa: Deus quer que você se identifique com Ele, assim como Ele tem se identificado com você. Algumas pessoas podem achar que santidade é que Deus quer que sejamos especial, que sejamos diferentes, que nos coloquemos diante de Deus de forma exclusiva.
Deus se faz santo com aqueles a quem Ele quer se revelar. Ele não se separa para aqueles que não querem ter comunhão com Ele. O diabo chega ao trono de Deus para nos acusar e isso não significa que quer ter comunhão com Deus. Nós podemos chegar ao trono de Deus, e Ele quer ter comunhão conosco. Apesar do pecado que faz a separação, que nos desvia do alvo, Deus insiste conosco, porque Ele é santo e nos vê de forma especial. Ele nos retira do lamaçal, assim como fez com o salmista. O apóstolo Pedro nos diz para não nos amoldar às paixões, mas devemos ter intimidade e comunhão com o Senhor. A condição de santo para o ser humano estabelece duas situações. A primeira é de que Deus dá o primeiro passo em sua direção. Por Ele nos ver em pecado Ele dá o primeiro passo. Ele fez isso enviando Jesus, fez isso ao nos deixar o Espírito Santo para nos revelar a condição de pecado.
Por Ele ser santo, deu o primeiro passo, mas espera que venhamos a dar o segundo passo em Sua direção e isso acontece por arrependimento, por clamor, por louvor, adoração...
No momento em que dermos esse passo Deus dará outros tantos passos em nossa direção. Quando Ele vê que demos o segundo passo, Deus vai construindo uma aproximação, porque santidade não é separação. Deus é santo e se separa para os exclusivos. A palavra separação em hebraico quer dizer “completamente cheio, preenchido, revestido”. Quando nos entregamos em direção a Deus, Ele se aproxima e nos completa. Ele começa a ter comunhão conosco. Mas o pecado, que não afeta a santidade de Deus, afeta a nossa comunhão, porque nos impede de dar o passo em direção a Deus. E assim não conseguimos essa comunhão que Deus iniciou, dando o primeiro passo. Para termos comunhão, precisamos permanecer íntegro na presença de Deus. Ele quer olhar para nós e ver essa identidade com Ele. Ele se faz santo, ou seja, separado para nos preencher.
Não há como ter comunhão com Deus e comunhão com as coisas do mundo, assegurou o pastor, explicando que isso não significa o nosso dia-a-dia, mas o pecado. Nós sabemos muito bem o que agrada e o que desagrada a Deus. O Seu Espírito nos revela, porque Ele dá o primeiro passo em nossa direção e nos revela quando estamos distante Dele. O Senhor espera de nós que nos venhamos a dar o passo em direção a Ele e pedir ajuda para essa reaproximação, por que Ele quer essa comunhão. É preciso sabermos que os nosso pecados nos separam da comunhão com Deus, mas nunca de Sua graça e misericórdia. Um pecado é suficiente para nos afastar, porque não existe pecadinho, independente de quão grave é esse pecado, o que vai determinar a nossa reaproximação com Deus é como reagimos ao passo que Deus dá em direção a nós. Deus vai aumentar a Sua comunhão com você, afirmou o ministrante, porque Ele vai preencher você com Seu amor, com Sua graça. Se o pecado anulasse a ação de Deus, estaríamos perdidos, mas o que vai determinar essa aproximação é como damos o segundo passo em direção a Deus.
Para alguns o afastamento de Deus dói, incomoda e isso é um grande sinal. O problema é para aqueles que se colocam na posição de indiferença, de orgulho e não se movem quando reconhecem que erraram, que foram desobediente. Em vez de darem um passo na direção de Deus, acabam por se encaminhar para a direção contrária. O Deus santo é um Deus de comunhão e espera que você dê o passo em direção a Ele, reconhecendo que é pecador e que Ele é santo e por isso tem ido ao Seu encontro. Porque Deus olhou para nós e se separou para ter comunhão conosco, percebemos esse ato de amor. Esse desejo de ter comunhão conosco nos leva também a querer nos santificar e ter uma vida cheia, plena e de total intimidade com o Senhor.
Perdoa Senhor os nossos pecados, lava-nos e purifica-nos, pediu o pastor, exortando a igreja a se posicionar em direção a Deus, deixando de lado a postura de indiferença em relação a Deus. E explicou que tudo aquilo que Deus santifica Ele usa. A santidade nos leva à comunhão e ela nos motiva a levar outras pessoas a buscarem essa comunhão. Você será um instrumento para levar vidas a terem comunhão com Deus, profetizou o pastor para aqueles que têm andado em comunhão com Deus.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Culto da Noite da Vitória 19-11-10




É tempo de obedecer para ser vencedor

O ministrante da noite, o Bispo Roberto Marques lembrou à Igreja sobre o tema que está sendo tratado nesta campanha e o material que Deus usa para forjar vencedores são aqueles rejeitados e esquecidos pelo mundo.
Deus colocou em você o potencial para ser vencedor, segundo os propósitos Dele. Será vencedor não pelos seus méritos, enfatizou o bispo, destacando que Deus coloca a força necessária, assim como fez com Davi. Deus não vê como o homem vê. Ele olha o coração, enquanto o homem olha a aparência. É nos momentos de crise que Deus forja o vencedor. O que Deus forja em você é a imagem e semelhança de Cristo Jesus, assegurou, por isso podemos ser chamados de cristãos. Você só pode usar esse titulo se é a imagem e semelhança de Cristo. Aquele está sempre pronto para obedecer e não se angustia durante as lutas, mas sai vencendo e para vencer
Uma outra personagem bíblica que pode nos mostrar isso é Gideão, explicou o ministrante lendo Juízes 6: 1-40
1 Porém os filhos de Israel fizeram o que era mau aos olhos do SENHOR; e o SENHOR os deu nas mãos dos midianitas por sete anos.
2 E, prevalecendo a mão dos midianitas sobre Israel, fizeram os filhos de Israel para si, por causa dos midianitas, as covas que estão nos montes, as cavernas e as fortificações.
3 Porque sucedia que, semeando Israel, os midianitas e os amalequitas, e também os do oriente, contra ele subiam.
4 E punham-se contra ele em campo, e destruíam os frutos da terra, até chegarem a Gaza; e não deixavam mantimento em Israel, nem ovelhas, nem bois, nem jumentos.
5 Porque subiam com os seus gados e tendas; vinham como gafanhotos, em grande multidão que não se podia contar, nem a eles nem aos seus camelos; e entravam na terra, para a destruir.
6 Assim Israel empobreceu muito pela presença dos midianitas; então os filhos de Israel clamaram ao SENHOR.
7 E sucedeu que, clamando os filhos de Israel ao SENHOR por causa dos midianitas,
8 Enviou o SENHOR um profeta aos filhos de Israel, que lhes disse: Assim diz o SENHOR Deus de Israel: Do Egito eu vos fiz subir, e vos tirei da casa da servidão;
9 E vos livrei da mão dos egípcios, e da mão de todos quantos vos oprimiam; e os expulsei de diante de vós, e a vós dei a sua terra.
10 E vos disse: Eu sou o SENHOR vosso Deus; não temais aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; mas não destes ouvidos à minha voz.
11 Então o anjo do SENHOR veio, e assentou-se debaixo do carvalho que está em Ofra, que pertencia a Joás, abiezrita; e Gideão, seu filho, estava malhando o trigo no lagar, para o salvar dos midianitas.
12 Então o anjo do SENHOR lhe apareceu, e lhe disse: O SENHOR é contigo, homem valoroso.
13 Mas Gideão lhe respondeu: Ai, Senhor meu, se o SENHOR é conosco, por que tudo isto nos sobreveio? E que é feito de todas as suas maravilhas que nossos pais nos contaram, dizendo: Não nos fez o SENHOR subir do Egito? Porém agora o SENHOR nos desamparou, e nos deu nas mãos dos midianitas.
14 Então o SENHOR olhou para ele, e disse: Vai nesta tua força, e livrarás a Israel das mãos dos midianitas; porventura não te enviei eu?
15 E ele lhe disse: Ai, Senhor meu, com que livrarei a Israel? Eis que a minha família é a mais pobre em Manassés, e eu o menor na casa de meu pai.
16 E o SENHOR lhe disse: Porquanto eu hei de ser contigo, tu ferirás aos midianitas como se fossem um só homem.
17 E ele disse: Se agora tenho achado graça aos teus olhos, dá-me um sinal de que és tu que falas comigo.
18 Rogo-te que daqui não te apartes, até que eu volte e traga o meu presente, e o ponha perante ti. E disse: Eu esperarei até que voltes.
19 E entrou Gideão e preparou um cabrito e pães ázimos de um efa de farinha; a carne pós num cesto e o caldo pôs numa panela; e trouxe-lho até debaixo do carvalho, e lho ofereceu.
20 Porém o anjo de Deus lhe disse: Toma a carne e os pães ázimos, e põe-nos sobre esta penha e derrama-lhe o caldo. E assim fez.
21 E o anjo do SENHOR estendeu a ponta do cajado, que estava na sua mão, e tocou a carne e os pães ázimos; então subiu o fogo da penha, e consumiu a carne e os pães ázimos; e o anjo do SENHOR desapareceu de seus olhos.
22 Então viu Gideão que era o anjo do SENHOR e disse: Ah, Senhor DEUS, pois vi o anjo do SENHOR face a face.
23 Porém o SENHOR lhe disse: Paz seja contigo; não temas; não morrerás.
24 Então Gideão edificou ali um altar ao SENHOR, e chamou-lhe: O SENHOR É PAZ; e ainda até o dia de hoje está em Ofra dos abiezritas.
25 E aconteceu naquela mesma noite, que o SENHOR lhe disse: Toma o boi que pertence a teu pai, a saber, o segundo boi de sete anos, e derruba o altar de Baal, que é de teu pai; e corta o bosque que está ao pé dele.
26 E edifica ao SENHOR teu Deus um altar no cume deste lugar forte, num lugar conveniente; e toma o segundo boi, e o oferecerás em holocausto com a lenha que cortares do bosque.
27 Então Gideão tomou dez homens dentre os seus servos, e fez como o SENHOR lhe dissera; e sucedeu que, temendo ele a casa de seu pai, e os homens daquela cidade, não o fez de dia, mas fê-lo de noite.
28 Levantando-se, pois, os homens daquela cidade, de madrugada, eis que estava o altar de Baal derrubado, e o bosque estava ao pé dele, cortado; e o segundo boi oferecido no altar que fora edificado.
29 E uns aos outros disseram: Quem fez esta coisa? E, esquadrinhando, e inquirindo, disseram: Gideão, o filho de Joás, fez esta coisa.
30 Então os homens daquela cidade disseram a Joás: Tira para fora a teu filho; para que morra; pois derribou o altar de Baal, e cortou o bosque que estava ao pé dele.
31 Porém Joás disse a todos os que se puseram contra ele: Contendereis vós por Baal? Livrá-lo-eis vós? Qualquer que por ele contender ainda esta manhã será morto; se é deus, por si mesmo contenda; pois derrubaram o seu altar.
32 Por isso naquele dia lhe chamaram Jerubaal, dizendo: Baal contenda contra ele, pois derrubou o seu altar.
33 E todos os midianitas e amalequitas, e os filhos do oriente se ajuntaram, e passaram, e acamparam no vale de Jizreel.
34 Então o Espírito do SENHOR revestiu a Gideão, o qual tocou a buzina, e os abiezritas se ajuntaram após ele.
35 E enviou mensageiros por toda a tribo de Manassés, que também se ajuntou após ele; também enviou mensageiros a Aser, e a Zebulom, e a Naftali, que saíram-lhe ao encontro.
36 E disse Gideão a Deus: Se hás de livrar a Israel por minha mão, como disseste,
37 Eis que eu porei um velo de lã na eira; se o orvalho estiver somente no velo, e toda a terra ficar seca, então conhecerei que hás de livrar a Israel por minha mão, como disseste.
38 E assim sucedeu; porque no outro dia se levantou de madrugada, e apertou o velo; e do orvalho que espremeu do velo, encheu uma taça de água.
39 E disse Gideão a Deus: Não se acenda contra mim a tua ira, se ainda falar só esta vez; rogo-te que só esta vez faça a prova com o velo; rogo-te que só o velo fique seco, e em toda a terra haja o orvalho.
40 E Deus assim fez naquela noite; pois só o velo ficou seco, e sobre toda a terra havia orvalho.


Israel estava em crise. E as crises vêm quando nos afastamos de Deus e vêm para nos trazer perseverança. Israel estava afastado de Deus. Era começar a semear e o inimigo vinha para levar. Isso levou o povo a se desanimar. Mas o povo clamou. É em tempo de crise que se levantam valentes, que se forjam vencedores. Mas quando há clamor, Deus ouve e move a Sua mão. Gideão era homem forte e corajoso aos olhos humanos, entretanto nem ele acreditava em sua força. Estava morto de medo, se escondendo dos midianitas, sentido inquietações e o anjo de Deus se assenta do lado dele e diz “homem mui valente”. Nem o próprio Gideão se achava valente. Ele tinha complexo de inferioridade, se achava pobre, oriundo de uma família pobre. Nele não se podia perceber a força, mas Deus disse: “vai nessa tua força e liberta Israel”. A nossa força tem que ser no Senhor. Somos fortes quando estamos fracos, porque o poder de Deus se aperfeiçoa na nossa fraqueza. Naqueles que não olham para si mesmos, e quando fazem isso não veem nenhuma possibilidade. O que Deus vê em nele não é a sua capacidade intelectual, a sua força física, mas o seu temor. Deus é fogo consumidor, explicou o bispo, lembrando que quando toca com o cajado em Gideão, as circunstâncias mudam. Se Deus é com você, você vai derrotar o inimigo, aquele que está levando o seu dinheiro, a sua força, o seu ânimo. Deus pede a Gideão para fazer um holocausto e derrubar o altar de Baal, porque o povo estava temendo a Baal e a Astarote. Ele não tendo coragem de ir durante o dia, o fez à noite e o seu pai foi questionado pelo povo, quando viu que ele havia destruído aquele altar. O pai de Gideao foi muito sábio, asseverou o bispo, pois disse ao povo: se Baal é o deus que vocês pensam que são, então que ele contenda por si.


Em Juizes 7: 1-21 vemos o que aconteceu depoiscom Gideão:
1 Juízes 7 Então Jerubaal (que é Gideão) se levantou de madrugada, e todo o povo que com ele havia, e se acamparam junto à fonte de Harode, de maneira que tinha o arraial dos midianitas para o norte, no vale, perto do outeiro de Moré.
2 E disse o SENHOR a Gideão: Muito é o povo que está contigo, para eu dar aos midianitas em sua mão; a fim de que Israel não se glorie contra mim, dizendo: A minha mão me livrou.
3 Agora, pois, apregoa aos ouvidos do povo, dizendo: Quem for medroso e tímido, volte, e retire-se apressadamente das montanhas de Gileade. Então voltaram do povo vinte e dois mil, e dez mil ficaram.
4 disse o SENHOR a Gideão: Ainda há muito povo; faze-os descer às águas, e ali os provarei; e será que, daquele de que eu te disser: Este irá contigo, esse contigo irá; porém de todo aquele, de que eu te disser: Este não irá contigo, esse não irá.
5 E fez descer o povo às águas. Então o SENHOR disse a Gideão: Qualquer que lamber as águas com a sua língua, como as lambe o cão, esse porás à parte; como também a todo aquele que se abaixar de joelhos a beber.
6 E foi o número dos que lamberam, levando a mão à boca, trezentos homens; e todo o restante do povo se abaixou de joelhos a beber as águas.
7 E disse o SENHOR a Gideão: Com estes trezentos homens que lamberam as águas vos livrarei, e darei os midianitas na tua mão; portanto, todos os demais se retirem, cada um ao seu lugar.
8 E o povo tomou na sua mão a provisão e as suas buzinas, e enviou a todos os outros homens de Israel cada um à sua tenda, porém os trezentos homens reteve; e estava o arraial dos midianitas embaixo, no vale.
9E sucedeu que, naquela mesma noite, o SENHOR lhe disse: Levanta-te, e desce ao arraial, porque o tenho dado na tua mão.
10 E, se ainda temes descer, desce tu e teu moço Purá, ao arraial;
11 E ouvirás o que dizem, e então, fortalecidas as tuas mãos descerás ao arraial. Então desceu ele com o seu moço Purá até ao extremo das sentinelas que estavam no arraial.
12 E os midianitas, os amalequitas, e todos os filhos do oriente jaziam no vale como gafanhotos em multidão; e eram inumeráveis os seus camelos, como a areia que há na praia do mar.
13 Chegando, pois, Gideão, eis que estava contando um homem ao seu companheiro um sonho, e dizia: Eis que tive um sonho, eis que um pão de cevada torrado rodava pelo arraial dos midianitas, e chegava até à tenda, e a feriu, e caiu, e a transtornou de cima para baixo; e ficou caída.
14 respondeu o seu companheiro, e disse: Não é isto outra coisa, senão a espada de Gideão, filho de Joás, varão israelita. Deus tem dado na sua mão aos midianitas, e todo este arraial.
15 E sucedeu que, ouvindo Gideão a narração deste sonho, e a sua explicação, adorou; e voltou ao arraial de Israel, e disse: Levantai-vos, porque o SENHOR tem dado o arraial dos midianitas nas nossas mãos.
16 Então dividiu os trezentos homens em três companhias; e deu-lhes a cada um, nas suas mãos, buzinas, e cântaros vazios, com tochas neles acesas.
17 E disse-lhes: Olhai para mim, e fazei como eu fizer; e eis que, chegando eu à extremidade do arraial, será que, como eu fizer, assim fareis vós.
18 Tocando eu a buzina, eu e todos os que comigo estiverem, então também vós tocareis a buzina ao redor de todo o arraial, e direis: Espada do SENHOR, e de Gideão.
19 Chegou, pois, Gideão, e os cem homens que com ele iam, ao extremo do arraial, ao princípio da vigília da meia noite, havendo sido de pouco trocadas as guardas; então tocaram as buzinas, e quebraram os cântaros, que tinham nas mãos.
20 Assim tocaram as três companhias as buzinas, e quebraram os cântaros; e tinham nas suas mãos esquerdas as tochas acesas, e nas suas mãos direitas as buzinas, para tocarem, e clamaram: Espada do SENHOR, e de Gideão.
21 E conservou-se cada um no seu lugar ao redor do arraial; então todo o exército pôs-se a correr e, gritando, fugiu.
Veja nessa passagem que Gideão não escolheu os mais fortes, mas os despreparados e ainda assim venceu. A estratégia de Deus não é compreensível aos homens. para Ele quanto menos, mais; quanto mais fraco, mais forte. Quando você obedece achando que não vai conseguir nada, você vê o resultado positivo. É no momento de crise que você verá que o seu Deus forja vencedores, a história de Gideão mostra isso, eis porque até hoje o nome dele é referência de vitória. O Senhor entregou os midianitas na mão de Gideão, com um pequeno número de guerreiros.
Se você foi desprezado, se foi colocado à parte, saiba que você é daqueles que Deus forja vencedor. Lembre, porém, de que o que fez Gideão um vencedor foi a obediência. Mesmo sem a coragem ele foi e obedeceu e isso fez dele um vencedor.

domingo, 7 de novembro de 2010

Culto da Manhã de Domingo de 07-11-10


É tempo de conhecer as características dos eleitos de Deus

O ministrante da manhã, o Pastor Luciano Tinoco, iniciou lembrando a Igreja que completa cinco anos em que ele tem ministrado para a família Manancial e depois de ser convidado a entregar a palavra em semana de avivamento para a Igreja de Porto Alegre, vem trazer a palavra de Deus mais uma vez a essa Igreja. O pastor falou de algo preocupante nos dias de hoje: a formação de um grupo que defende a tese de que a Igreja está falida e por isso afirmam que não há necessidade de se reunir em igreja. Para eles basta a reunião em casa, sem a liderança de um pastor. Este grupo tem crescido, explicou o pastor, por conta de uma má administração de muitas igrejas que têm se feito semelhante a empresas. Mas há algo de preocupante nisto, porque, mesmo tendo razão em alguns aspectos, esse grupo contraria a palavra de Deus. Essa é uma teologia maligna que cresce nesta nação e para combater isso precisamos conhecer e viver as características de uma igreja verdadeiramente cristã, asseverou o pastor, lembrando que o Senhor Jesus deixou bem claro que pelo fruto se conhece as árvores. Aquilo que você faz, como pauta seus comportamentos revela como você é, afirmou. Precisamos parar de dizer “eu pago as minhas contas, portanto não devo satisfação a ninguém”. Esse é um pensamento errado, insistiu. Jesus vê os homens como árvores. Mas não basta ser frutífera, é preciso dar frutos ao Senhor.
Há uma declaração do Apóstolo 1 Pedro 2: 8-9 que é uma das maiores lições do cristianismo. É uma das razoes de estarmos aqui adorando e servindo a Jesus e nela ele identifica 4 características essenciais das quais temos que ter consciência:


8 Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;
9 Vós, que em outro tempo não éreis povo, mas agora sois povo de Deus; que não tínheis alcançado misericórdia, mas agora alcançastes misericórdia.


Você tem consciência dessa condição? Você tem se destacado, tem se comportado como quem foi resgatado das trevas? Há pessoas que se comportam como os judeus com saudade do Egito, com saudades das trevas. Você foi tirado das trevas para a maravilhosa luz, não há nada nas trevas que seja melhor do que a luz. Todo prazer que ela proporciona é ilusão. É passageiro. Na luz você tem alegria do Espírito Santo. Os cristãos que sentem saudades das trevas não têm noção dessas quatro características: primeiro, você é raça eleita; segundo, é sacerdócio real; terceiro, é nação santa; e quarto, você foi chamado das trevas para a maravilhosa luz para ser proclamador das virtudes de Deus.
Todo inferno sabe que aquele que é escolhido não pode ser tocado. Não somos qualquer um, mas alguém nos elegeu de forma incorruptível. No sistema de eleição de Deus não há corrupção e por isso todo o inferno sabe que você é diferente. Nos padrões de Deus a eleição é diferente dos padrões humanos. Ele começa de dentro para fora. Deus não elege pela cor da pele, pelos olhos, pelo timbre de voz,pela elegância. O primeiro princípio dessa eleição é de dentro para fora, como podemos constatar na exortação de Deus a Samuel. Quando ele chegou na casa de Jessé ele percebeu isso, ao ver que Deus escolheu Davi não pela aparência. Deus dá vida àquele a quem ninguém dá nada. Olhe para você: onde estaria hoje se Deus não tivesse escolhido você, perguntou o pastor, lembrando a própria história. Nascido no morro, filho de pai alcoólatra e mãe completamente dominada pelos demônios. Tudo em sua vida encaminhava para a perdição do vício, da prostituição, do serviço a satanás. Assim como Deus fez com Davi e com ele, faz com você. o Senhor atraiu você, porque foi eleito por Ele.
O ministrante lembrou que a Igreja se humilha, se rebaixa, quando não se sente bem em lugar nenhum. Tenha consciência da importância de ter sido eleito. Você não é qualquer um. Foi Deus quem te elegeu. Um segundo ponto: somos sacerdotes reais. Naquela época para chegar a ser um sacerdote teria que passar por uma grande prova. Não era para qualquer um, mas Jesus, o sumo Sacerdote entrou no Santo dos Santos e aboliu todas essas provas e nos fez sacerdócio real. A sociedade entende que ser sacerdote é ser líder religioso, que os pastores são sacerdotes, mas o verdadeiro sentido do sacerdócio é a intercessão pelo povo e isso foi dado a nós. Se somos sacerdotes, se somos intercessores, como podemos encarar o fato de ver o ano terminar e não termos ganhado nenhuma alma para Jesus? Você agiu como sacerdote? Trouxe diante de Deus a vida de alguém? Sacerdote não pode se enclausurar e pensar que está cumprindo o seu papel. Os canais de esporte trazem exemplos de atletas paraolímpicos que mostram o quanto é inútil ficar reclamando, em vez de ir à luta. Saia de seu mundinho, pare de chorar e de se lastimar por pequenos problemas. Se você tem um carro para se locomover, agradeça. Muitos são os que andam quilômetros para irem à escola, para cultuarem ao Senhor. Você tem carro e não usa para Deus, mas para se desviar dela, admoestou o ministrante, lembrando a população ribeirinha do Acre que não tem os mesmos privilégios que nós.
Você é sacerdócio real, tenha consciência dessa função. Terceira função: nação santa. Nada diante de Deus acontece sem a presença da santidade. Ser santo não é ser sério, ao contrário, quanto mais santo mais alegre, mais bem humorado é o homem. Jesus foi muito alegre, informou, porque a alegria faz parte do reino de Deus. Ser santo não é andar de cara sisuda. Se santo é não misturar as coisas com o profano. É possível que você consiga estar no mundo, sem se misturar. As pessoas precisam ver em você a diferença. As pessoas podem ser tocadas pelas suas atitudes, sendo agradáveis, alegres. A diferença entre o santo e o profano é que você pode ser alegre, divertido, sem ser pornográfico, sem se prostituir, pode colocar as coisas no devido lugar sem ser vingativo. Você pode falar a verdade, sem ser maldoso. Você pode ser nação santa, em todos os lugares em que pisar, sem forçar, porque santidade não é vestimenta, é atitude.
Por último, tenha consciência de que deve ser proclamador das virtudes de Deus: o evangelho pode ser pregado por palavra ou pelos frutos. A unção de Deus nos foi dada para mostrar o poder de Deus em nossas vidas. É necessário mostrar a Glória de Deus em tudo que fazemos. Deus tem lhe honrado, as pessoas têm visto a Glória de Deus na sua vida, perguntou o pastor. Deus tem lhe prosperado sem que você se exalte, sem que use as bênçãos apenas em Benício próprio. As pessoas têm visto na sua prosperidade a Glória de Deus? Ele quer lhe dar poder para que a Sua Glória seja visível. Não para que você use o que recebe para sair do sacerdócio, para não evangelizar segundo a Sua vontade. As bênçãos de Deus são para que você seja visto como nação santa, como raça eleita. Ele quer que você tenha consciência de todas essas coisas em sua vida. Comece a sua semana sabendo que é proclamador das virtudes de Deus e mude de postura, exortou o pastor. Você quatro caracterísitcas que demonstram quem é você diante de Deus: você é raça eleita, foi tirado das trevas, é nação santa e é proclamador das virtudes de Deus.

domingo, 31 de outubro de 2010

Culto da Manhã de Domingo de 31-10-10


É tempo de deixar de agir como inimigo de Deus


O ministrante da manhã, o pastor Ricardo Hermes, explicou que o tema de sua ministração pode parecer inicialmente estranho e após colocar a questão “Seria eu um inimigo de Deus?” convidou a Igreja a abrir a Bíblia em Colossenses 1:21-22
21 A vós também, que noutro tempo éreis estranhos, e inimigos no entendimento pelas vossas obras más, agora, contudo vos reconciliou
22 No corpo da sua carne, pela morte, para perante ele vos apresentar santos, e irrepreensíveis, e inculpáveis.
Agimos como inimigos de Deus devido ao pecado e desobediência.
Vivemos em tempos difíceis, quando o mundo e suas coisas tentam contaminar a Igreja. as pessoas têm perdido o sentido do que é santidade, e estão virando as costas para Deus por conta de seu egoísmo, de convicções próprias e por conta do conformismo que o mundo oferece, por pouco as pessoas estão voltando as costas para Deus. Muitos se desviam por pouco. As pessoas gastam mais tempo se esforçando para se justificar do que para se arrepender e endireitar os seus caminhos. Tudo isso porque as pessoas estão mais preocupadas com as coisas do mundo. Por que alguém que está na Igreja vai desejar o mundo novamente? O que mais se vê são pessoas falando “não tem nada a ver”, “você é radical”, “é só uma mentirinha”. Pessoas que só querem ouvir o que faz bem para o ego. Pessoas que estão na Igreja e invejam o mundo. Diante disso, vale fazer uma pergunta: pra que querer o mundo?
Estamos no mundo, mas não somos do mundo explicou o pastor. Aqui estamos de passagem, como peregrino. Mas às vezes reagimos como se fossemos inimigos de Deus.
Aquele que gasta toda sua vida com posicionamentos contrários ao que Jesus nos ensinou, certamente vai se sentir constrangido ao se encontrar com Deus.
Quando é que nos tornamos inimigos de Deus? Quando somos desobedientes, quando somos ingratos. O inimigo é aquele que tenta destruir as coisas de Deus. E se fazemos o contrário ao que Ele ensina, comportamos como Seus inimigos. O diabo faz exatamente isso: leva as pessoas a se comportarem contra Deus. Em I Tessalonicenses 4:3-7
3 Porque esta é a vontade de Deus, a vossa santificação; que vos abstenhais da prostituição;
4 Que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santificação e honra;
5 Não na paixão da concupiscência, como os gentios, que não conhecem a Deus.
6 Ninguém oprima ou engane a seu irmão em negócio algum, porque o Senhor é vingador de todas estas coisas, como também antes vo-lo dissemos e testificamos.
7 Porque não nos chamou Deus para a imundícia, mas para a santificação.

Ele fala aqui da imoralidade sexual. Não podemos deixar que nossos desejos sejam como os do pagão. Ninguém se aproveite de seu irmão de maneira injusta porque Deus castigará isso. A bíblia diz que todo posicionamento santo trará desconforto e constrangimento, e todos nós um dia seremos confrontados pelo mundo. Em 2 Pedro 3:3 lemos “Antes de tudo saibam que, nos últimos dias, surgirão escarnecedores zombando e seguindo suas próprias paixões”.
O ministrante afirmou que temos mais motivos para sermos obedientes e amigos de Deus do que para sermos inimigos. Quem ama a Deus? Se você ama a Deus, você desejará se tornar seu amigo fazendo o seguinte:
1- Agradar a Deus:
E se amamos a Deus desejamos ser seu amigos, procurando agradá-Lo. É isso que Jesus diz em João 14: 15 “Se me amais, guardai os meus mandamentos.”

2- Outra coisa é ter a consciência limpa. Quem gosta de encostar a cabeça no travesseiro e dormir o sono dos justos? Pois essa é a promessa de Deus para quem busca ter a consciência limpa! Quem tem a cabeça dos justos, tem a bênção do Senhor. O ministrante lembrou que em Provérbios 10:6 está escrito: “Bençãos há sobre a cabeça do justo, mas a violência cobre a boca dos perversos.
3- ”É preciso também honrar a Deus em tudo nessa vida. Em II Timóteo 2: 20-21 “Ora, numa grande casa não somente há vasos de ouro e de prata, mas também de pau e de barro; uns para honra, outros, porém, para desonra. De sorte que, se alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra, santificado e idôneo para uso do Senhor, e preparado para toda a boa obra”.
4- Dar testemunho de vida, conforme ensina I Timóteo 6:12 . Combata o bom combate da fé. Tome posse da vida eterna, para a qual você foi chamado e fez a boa confissão na presença de muitas testemunhas”.
5- Andar mais próximo de Deus, é outra condição necessária. Mas como fazer isso? Em Jeremias 42:3 “Para que o SENHOR teu Deus nos ensine o caminho por onde havemos de andar e aquilo que havemos de fazer”.
6- Viver com caráter. Falta de santificação deixa evidente o desvio no caráter afirma o pastor, citando Provérbios 2:21 “Porque os retos habitarão a terra e os íntegros permanecerão nela”.
Você não é inimigo de Deus, é filho e amigo, garantiu o ministrante, citando Provérbios 16:7 “Sendo o caminho dos homens agradável ao Senhor, este reconcilia com eles os seus inimigos.” A Bíblia diz: já não vos chamo de servos, mas de amigos”. Em João 15:15 está escrito: “Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho dado a conhecer”.
Queremos ser vasos de honra, não somos inimigos de Deus, mas as vezes agimos como se fossemos. O Senhor nos dá oportunidade de agradar a Ele, honrar a Ele, dar testemunho de vida. Quando damos testemunhos mostramos que ao seguir a Deus Ele nos honra. Quem vem à frente dar testemunho está afirmando isso: “Honrei a Deus e Ele me honrou”.
Dar testemunho de vida é fazer como Paulo: combater bom combate na fé. Quem toma posse da vida eterna, para a qual você foi chamado, lembrou o ministrante, dá testemunho de vida. Quem recebe Jesus e O reconhece como Senhor e salvador já tem a vida eterna, porque confessa diante dos homens que Ele é o Senhor.
Quem quer ser amigo de Deus permite que Ele se aproxime. Muitas vezes andamos em nossas vidas, sem considerar as conseqüências, agimos sem pensar e não percebemos que as conseqüências virão. Mas quando andamos mais próximos de Deus, permitimos que Ele nos ensine e nos mostre o que não nos fará mal. Se somos amigos de Deus e Dele nos aproximamos, temos o que diz Isaias 48:17: “Assim diz o SENHOR, o teu Redentor, o Santo de Israel: Eu sou o SENHOR teu Deus, que te ensina o que é útil, e te guia pelo caminho em que deves andar”.
Muitas vezes fazemos apenas o que nos interessa e desconsideramos o que tentam nos alertar. As vezes nos aproximamos das pessoas esperando que ela nos dê algo. Agimos apenas por interesse, mas aqueles que têm algo a nos oferecer fazem isso sem interesse. Assim é com Deus.
Querendo ou não seremos testados em algum momento da vida. O nosso caráter é testado em algum momento. Às vezes falamos e nos expressamos para Deus sem perceber que tudo sabe e temos em nós algo que o desagrada e que não é coerente com o que fazemos. Precisamos dar testemunho não de boca, mas em nossas atitudes.
Os retos habitam a terra, mas apenas os íntegros permanecerão nela. Os retos estão na igreja e louvam a Deus, mas somente os íntegros chegarão à presença de Deus, pois integridade e caráter de Cristo é para aqueles que são tocados pelo Espírito Santo. Não somos netos de Deus, mas filhos, lembrou o ministrante.
Se você tem inimigos, mas seu caminho é agradável ao Senhor, Deus fará o milagre de que seus inimigos de reconciliem com você. Se você quer ser amigo de Deus.
Santidade não é opção. É a sua própria fé. É preciso abrir mão de algumas coisas , ensinou o pastor lendo Romanos 8:35-39:
35 Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada?
36 Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia; Somos reputados como ovelhas para o matadouro.
37 Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou.
38 Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir,
39 Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura”.
Se você um dia agiu como inimigo de Deus, defraudando alguém, prometendo algo que não poderia entregar, e o Espírito Santo tentou lhe provar o seu erro e você não aceitou, Deus está lhe dando uma oportunidade agora de refletir. Feche seus olhos e se pergunte: será que tenho agido como inimigo de Deus? Você tem se esforçado para encontrar justificativas para os seus erros em vez de usar o seu tempo para se arrepender e se aproximar de Deus. Se você está na igreja Deus quer que você seja a Igreja. Você tem mais motivos para ser amigo de Deus do que para agir como Seu inimigo. Honre ao Senhor e se santifique, exortou o pastor, lembrando que precisamos combater o bom combate.

Lembretes:

Dia 25-11 é o Dia Mundial de Ação de Graças. Venha agradecer a Deus

domingo, 24 de outubro de 2010

Culto da Manhã de Domingo de 24-10-10



É tempo de ir até Jesus e deixar sobre Ele o nosso fardo


O ministrante da manhã, o Bispo Roberto Marques, convidou a Igreja a abrir a Bíblia em Mateus 11: 28-30


28 Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.
29 Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas.
30 Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.


Esses versículos são um chamado de Jesus para aqueles que estão cansados e sobrecarregados, afirmou o ministrante, ensinando que temos que ir até Ele, temos que dar o primeiro passo. Jesus inicialmente falava aos judeus, mas essa palavra é para nós, explicou o bispo que Jesus está falando àqueles que têm tentado buscar a Deus, mas sobre eles têm sido colocado fardos pesados, muitas vezes os fardos dos fariseus. O fardo de Jesus não é pesado, como fardo do mundo. É para você que está com o peso na alma. Ele fala para aqueles que não agüentando mais, na área sentimental, pessoal, emocional...
Muitos no mundo estão jogando a toalha, porque não agüentam mais, mas Jesus já tomou sobre si esse fardo e você não precisa mais carregá-lo; reiterou.
Jesus já levou os seus pecados. Ele diz: “vinde a mim”. Ele está falando para aqueles que foram tocados pela seu sacrifício na cruz. Você está ouvindo a voz de Deus e quer obedecer? É para você que Jesus fala. Sobrecarga arrebenta qualquer coisa, explicou o ministrante. Toda carga que excede arrebenta o que carrega, pode ser o carro, pode ser a sua vida. Todo corpo tem um limite de carga, mas quem está sobrecarregado não suporta a carga excessiva. Se você quer que seus fardos sejam retirados, aprenda a andar com Jesus, porque Ele é o pastor e você a ovelha. É a ovelha que segue o pastor e não o contrário. É você que tem que andar com Jesus e ir até ele, não o contrário. E para andar com Cristo é preciso abrir mão de muita coisa. Andar com Jesus é um aprendizado constante. É preocupante pessoas que acham que sabem o suficiente e não precisam freqüentar a Escola Bíblica, não precisam ouvir a pregação. Essa presunção é perigosa. Jesus está voltando e não sabemos a hora. É preciso, pois, estarmos constantemente preparados. Conhecimento é algo que não pode ser deixado de lado. É preciso buscá-lo diariamente, ensinou o bispo. O jugo de Jesus não é como o jugo do mundo. Não é pesado. Quando Jesus usou essa figura, Ele quis dizer que devemos andar lado a lado com Ele, para que Ele carregue o nosso fardo conosco. Quando andamos em jugo desigual o peso é grande, por isso ficamos sobrecarregados. O que precisamos fazer é colocar todos os nossos planos diante de Deus, porque os planos Dele não podem ser frustrados. Se você estiver procurando os planos de Deus em sua vida, saiba que não se frustrará, porque Ele trabalhará por você. Mas se seus planos são os do seu coração e não atentam para a voz de Deus, você, certamente se decepcionará.
A alegoria do jugo nos leva a pensar sobre a cena de dois bois que caminham juntos atrelados pela canga. Se um deles vê uma vaca, logo se desvia para o lado dela e assim arrasta o outro, provocando dores e incômodos. Mas quando os dois olham para o mesmo lado, ninguém se machuca. É assim quando caminhamos no jugo de Jesus. Quando andamos com Ele, nossos caminhos são suaves. E isso significa andar todos os dias, 24 horas. Aqueles que andam sozinhos ou em jugo desigual carregam peso desnecessário, buscam fardo para carregar. Quem ouve os conselhos e faz o que foi ensinado, não busca fardo pesado, pois esse tipo de fardo não foi dado por Deus. O homem é rebelde e tem o coração corrupto. Porque está corrompido pelo pecado, o coração engana. Há pessoa que dizem que só faz o que sente. Esse não anda por fé, mas pelo sentimento. Infelizmente se dará mal, porque anda em desobediência.
Deus tem um projeto na sua vida, mas o pecado entrou e corrompeu. Ande com Cristo Jesus, exortou o bispo, porque assim não terá fardo que não possa carregar. Aquele que está em Cristo encontra descanso para sua alma. Terá descanso físico e emocional. Terá, principalmente, descanso eterno ao lado dele. Isso não significa morte, mas descanso até a eternidade. De agora até sempre. Se você está atribulado, angustiado, depressivo é porque está se afastando de Jesus. Alguma área da sua vida está distante de Jesus, pode verificar.
Se você excluiu Jesus de alguma área de sua vida, certamente, ela lhe tem trazido fardo pesado. Mas aceite o convite de Jesus e deixe sobre Ele o seu fardo. Não inverta a ordem: vá até o pastor de sua alma e faça o que Ele lhe ensinar e não queira que ele faça o que você quer, como você tem feito muitas vezes.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Culto da Vitória de 22-10-10




É tempo de Deus forjar vencedores

O ministrante da noite, o Bispo Roberto Marques, iniciou a palavra afirmando que é Deus quem nos capacita e mostra para os vencedores os planos e as artimanhas do inimigo. Só os vencedores entrarão no Reino dos Céus. Perdedores e covardes ali não terão lugar. Deus transforma os derrotados na visão mundo em vencedores. Deus forja os vencedores, afirmou o bispo explicando que se forja com martelo e bigorna, em ferro quente. Então se Deus tem colocado você na fornalha é porque Ele está forjando você para mudar sua forma de ser, de pensar e de agir. O que o mundo rejeitou é o que Deus escolhe, creia, garantiu o bispo.
Aquele que sai vencendo e para vencer quer forjar em você em um vencedor. Um vencedor por Deus. Aquele que começa como vencedor e vai até a eternidade. Diferentemente do vencedor do mundo que começa vencendo, mas termina como perdedor. O mundo pode ter rejeitado você, mas Deus o escolheu. Lembrando a passag3em do rico e de Lázaro, o ministrante explicou que esse nome significa “Deus é misericordioso”. Essa parábola mostra que o rico teve a vitória em vida, mas isso se extinguiu com sua vida, enquanto aquele que padecia as misérias em vida obteve a misericórdia de Deus. Lázaro chegou ao seio de Abraão.
Vencedores forjados por Deus geralmente são aqueles que foram refugados pelo mundo. Aqueles que foram excluídos pelo mundo, aqueles que consideram a sis mesmos falidos, humilhados, desprezados, mas é atrás deles que Deus vai. Aquele que chama também capacita e adestrará para fazer valente, afirmou o bispo exortando a Igreja a empunhar a bandeira da vitória e a fazer a campanha da vitória. Deus levantará um grande exército entre esse povo que. O bispo explicou que o vencedor, assim como Davi, é forjado na caverna. No esconderijo. Mas aquele que habita no esconderijo do Altíssimo à sombra do Onipotente descansará.
Está lançada a campanha “Como se forja o vencedor”, decretou o Bispo entregando palavras proféticas à Igreja. Palavra de vitória, vinda do trono de Deus. E, assim abençoou a Igreja lendo Romanos 8: 37 “Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou.”

domingo, 17 de outubro de 2010

Culto da Manhã de Domingo 17-10-10



É tempo de ouvir os conselhos das autoridades constituídas por Deus

A ministrante da manhã, a pastora Elza Celina, iniciou a palavra testificando a presença do Espírito Santo e pediu à Igreja para abrir a Bíblia nos Salmos 107
1 Louvai ao SENHOR, porque ele é bom, porque a sua benignidade dura para sempre.
2 Digam-no os remidos do SENHOR, os que remiu da mão do inimigo,
3 E os que congregou das terras do oriente e do ocidente, do norte e do sul.
4 Andaram desgarrados pelo deserto, por caminhos solitários; não acharam cidade para habitarem.
5 Famintos e sedentos, a sua alma neles desfalecia.
6 E clamaram ao SENHOR na sua angústia, e os livrou das suas dificuldades.
7 E os levou por caminho direito, para irem a uma cidade de habitação.
8 Louvem ao SENHOR pela sua bondade, e pelas suas maravilhas para com os filhos dos homens.
9 Pois fartou a alma sedenta, e encheu de bens a alma faminta.
10 Tal como a que se assenta nas trevas e sombra da morte, presa em aflição e em ferro;
11 Porquanto se rebelaram contra as palavras de Deus, e desprezaram o conselho do Altíssimo.
12 Portanto, lhes abateu o coração com trabalho; tropeçaram, e não houve quem os ajudasse.
13 Então clamaram ao SENHOR na sua angústia, e os livrou das suas dificuldades.
14 Tirou-os das trevas e sombra da morte; e quebrou as suas prisões.
15 Louvem ao SENHOR pela sua bondade, e pelas suas maravilhas para com os filhos dos homens.
16 Pois quebrou as portas de bronze, e despedaçou os ferrolhos de ferro.
17 Os loucos, por causa da sua transgressão, e por causa das suas iniqüidades, são aflitos.
18 A sua alma aborreceu toda a comida, e chegaram até às portas da morte.
19 Então clamaram ao SENHOR na sua angústia, e ele os livrou das suas dificuldades.
20 Enviou a sua palavra, e os sarou; e os livrou da sua destruição.
21 Louvem ao SENHOR pela sua bondade, e pelas suas maravilhas para com os filhos dos homens.
22 E ofereçam os sacrifícios de louvor, e relatem as suas obras com regozijo.
23 Os que descem ao mar em navios, mercando nas grandes águas.
24 Esses vêem as obras do SENHOR, e as suas maravilhas no profundo.
25 Pois ele manda, e se levanta o vento tempestuoso que eleva as suas ondas.
26 Sobem aos céus; descem aos abismos, e a sua alma se derrete em angústias.
27 Andam e cambaleiam como ébrios, e perderam todo o tino.
28 Então clamam ao SENHOR na sua angústia; e ele os livra das suas dificuldades.
29 Faz cessar a tormenta, e acalmam-se as suas ondas.
30 Então se alegram, porque se aquietaram; assim os leva ao seu porto desejado.
31 Louvem ao SENHOR pela sua bondade, e pelas suas maravilhas para com os filhos dos homens.
32 Exaltem-no na congregação do povo, e glorifiquem-no na assembléia dos anciãos.
33 Ele converte os rios em um deserto, e as fontes em terra sedenta;
34 A terra frutífera em estéril, pela maldade dos que nela habitam.
35 Converte o deserto em lagoa, e a terra seca em fontes.
36 E faz habitar ali os famintos, para que edifiquem cidade para habitação;
37 E semeiam os campos e plantam vinhas, que produzem fruto abundante.
38 Também os abençoa, de modo que se multiplicam muito; e o seu gado não diminui.
39 Depois se diminuem e se abatem, pela opressão, e aflição e tristeza.
40 Derrama o desprezo sobre os príncipes, e os faz andar desgarrados pelo deserto, onde não há caminho.
41 Porém livra ao necessitado da opressão, em um lugar alto, e multiplica as famílias como rebanhos.
42 Os retos o verão, e se alegrarão, e toda a iniqüidade tapará a boca.
43 Quem é sábio observará estas coisas, e eles compreenderão as benignidades do SENHOR.
A ministrante chamou a atenção para o tema desse salmo e para as repetições que seguem uma lógica: tribulação, clamor e a resposta de Deus.
Nesse texto podemos ter a orientação para não nadarmos mais errantes como o povo no deserto. Vemos que o povo andavam como nômades, sem fixar residência, famintos e sedentos. Necessidades primarias do ser humano. É desesperador não ter o que beber e o que comer. O povo estava diante de um problemas, depois de detectá-lo clamaram ao Senhor e Dele recebeu a reposta. Fazendo uma analogia com a situação de hoje, ficamos também errantes, diante de uma adversidade. Ficamos sem saber o que fazer: quantos não têm onde habitar, quantos não têm direção na vida, quantos vivem de casa em casa sem ter um lar, sem ter uma direção de Deus? Pode ser um problema de relacionamento entre pais e filhos, complicações no diálogo. Quantas vezes por falha na comunicação, o diabo entra e impede o diálogo quando os pais, os companheiros, os amigos tentam mostrar o caminho certo àqueles que amam? Quantas vezes a pessoa não tem um parente na cidade e ela se sente só, cada vez mais fechada? Quantas vezes se isola, sem ter verdadeiros amigos, numa cidade em que as pessoas são apenas meros conhecidos? Há inúmeras situações quem podem exemplificar esse andar errante.
Em uma situação emergencial, como a sede e a fome, podemos também comparar com a perda do emprego, com dívidas que se acumulam, com o salário baixo que não acompanha. Tudo isso leva ao desespero. Nessas horas é preciso estar cercado de pessoas com sabedoria: um amigo, uma esposa, um conselheiro que tenha a fé firme e possa dar suporte diante dessa tribulação inesperada. Quantos já não viveram situações assim? O resultado de tanta dificuldade, como registra o versículo 5: a alma se abate. E aqueles que nos conhecem bem podem perceber isso, mesmo estando distante de nós. O ser humano consegue passar momentos de angústia, mas não o tempo todo. Quem vive na angústia intensa entra em depressão e se continuar ela se aprofunda e desencadeia problemas cardíacos, altera o metabolismo e leva à morte. Quando não levamos esses problemas a Deus, quando nos cercamos de pessoas mais depressivas, que não estão firmes na presença de Deus, aumentamos nosso problema. O segredo é clamar a Deus, como está no versículo seis.
Deus sabe qual é o seu problema, pode ser que ele não tenha sido listado nesses exemplos, mas você e Deus sabe. É bom que você tenha um companheiro de caminhada para ajudá-lo a crescer, mas o posicionamento é seu. Muitas vezes o seu companheiro pode até lhe atrapalhar porque em vez de ajudar em oração e clamar ele tem feito apenas murmurar e reclamar. E isso afasta a ação de Deus. Não podemos limitar o poder de Deus, afirmou a pastora, apontando para o problema da insubmissão sobre a autoridade. Nesse salmo vemos a desobediência a Deus, mas Ele constituiu autoridades sobre nossas vidas: nossos pais, nossos pastores. Não podemos ser insubmissos a eles. Nesse caso vemos que o povo foi rebelde. Quantas vezes o bispo dá uma palavra em sua vida vinda do trono de Deus e você rejeita a palavra porque ela vai mexer na sua vontade, na sua zona de conforto, nos seus planos pessoais. Você se torna insubordinado e faz o que determinou, e não ouve a palavra dada pelo bispo? Quando rebelamos contra uma autoridade agimos com facção. Quantas vezes a palavra é dada e a pessoa se rebela, e isso faz com a pessoa, ao não concordar com a exortação, afasta-se da igreja e da comunhão com os irmãos. Isso acontece porque ela mesma sente que está fazendo algo errado. Ela sabe que se rebelou contra uma autoridade, que não fez o que foi ensinado. A reação é se afastar e acusar o bispo, os irmãos, a Igreja de tê-la rejeitado, quando de fato o que ocorre é a ação do inimigo para tirar a comunhão, fazendo com a pessoa peque pela desobediência. O resultado é culpar os outros em vez de pedir perdão e assumir a culpa, sem reconhecer que o erro está na rebeldia, em não ouvir a voz da autoridade constituída, mesmo que a palavra seja contrária aos nossos desejos.
A autoridade constituída tanto pelos homens, quanto por Deus deve ser respeitada. O é preciso fazer é reconhecer o erro. Não podemos nos rebelar contra os pais, contra os chefes. Em vez de abençoá-los, muitas vezes amaldiçoamos.
Vemos que nada adianta pedir perdão, ter uma aparência de mudança, se ela não vem de dentro para fora. Se ela for apenas uma ação mecânica. Quando mudamos entendendo a ação de Jesus em nossas vidas, depois de clamarmos a Ele pela transformação, isso é definitivo. Caso contrário, repetiremos o erro sempre e ficamos na prisão do inimigo que não nos dá paz, diante de nossa fraqueza.
Quem desobedece acaba sendo afligido por males físicos. A perda do apetite, uma enfermidade grave que leva ao abatimento muitas vezes é resultado de rebelião, pois muitos não clamam ao Senhor. Ou são imediatistas e não esperam a ação de Deus. Ele as vezes nos deixa esperando para trabalhar nosso caráter. Até mesmo na adversidade Ele age para nos preparar. Deus sabe qual é o seu problema, clame e Ele para lhe dar o livramento. O problema é que muitas vezes você pede, mas não espera, não é constante, não é obediente. Mesmo que a situação pareça adversa, a promessa de Deus deve ser considerada, por para o Senhor não há nada demasiadamente difícil. Pode ser para nós, não para Ele. Muitos querem antecipar a bênção, quando Ele diz: “espera. Ainda não é o momento do seu júbilo”. Quando não esperamos, impedimos Deus de nos dar o melhor, porque colhemos frutos verdes. O que vem de Deus traz paz constante, traz união e estabilidade, não facção e descontentamento ou murmuração. O inimigo quer que você seja imediatista. Ele sopra em seu ouvido para não esperar, para tomar posse imediata, mesmo quando você tem a palavra de uma autoridade constituída por Deus que é para esperar.
Quando você estiver sendo instigado pelo diabo, quando tiver sendo tentado para agir contra a palavra de Deus, não se intimide: ore, clame e seja persistente. Mesmo que seu problema não tenha sido resolvido, insista, não desanime. Mas clame à pessoa certa. Não adianta falar com quem não resolve. Não adianta murmurar, ou querer contar com quem não tem autoridade ou condição de resolver. Clame a Deus, porque quando Ele age e solução é definitiva. Quando agimos com nossas forças, somos impotentes. Muitas vezes não recebemos a resposta de nossas orações porque saímos da posição. Devemos ser objetivos e ter fé para saber que Deus vai agir e o problema vai ser resolvido. Não duvidar é o segredo de receber, ensinou a pastora citando os salmos 40:1 -5
1 Esperei com paciência no SENHOR, e ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor.
2 Tirou-me dum lago horrível, dum charco de lodo, pôs os meus pés sobre uma rocha, firmou os meus passos.
3 E pôs um novo cântico na minha boca, um hino ao nosso Deus; muitos o verão, e temerão, e confiarão no SENHOR.
4 Bem-aventurado o homem que põe no SENHOR a sua confiança, e que não respeita os soberbos nem os que se desviam para a mentira.
5 Muitas são, SENHOR meu Deus, as maravilhas que tens operado para conosco, e os teus pensamentos não se podem contar diante de ti; se eu os quisera anunciar, e deles falar, são mais do que se podem contar.

Vamos clamar pelas vidas que se rebelaram contra as autoridades constituídas e por isso estão soltos no mundo, ou prisioneiros de suas escolhas erradas. Pedimos, Senhor, que traga amadurecimento na vida emocional, sentimental, espiritual e financeira. Sabemos que Deus passa a adversidade conosco. Atende, oh Deus, o nosso clamor e traga a resposta para a Sua honra e glória!
Retire de nós todo orgulho, teimosia e arrogância, orou a pastora, encerrando a palavra.


Retire de nós todo orgulho, teimosia e arrogância, orou a pastora, encerrando a palavra. E o bispo Roberto, ao encerrar o culto, explicou que há tribulações que vêm pela desobediência, mas dela podemos sair pelo arrependimento. E há tribulações que vêm, independente de nossa conduta, para nos preparar para as bênçãos. Se formos firmes e perseverantes, se não sairmos da posição e não tomarmos atitudes de rebeldia, certamente Deus agirá em nosso favor, afirmou o bispo, abençoando a Igreja

domingo, 10 de outubro de 2010

Culto da Manhã de Domingo 10-10-10




É tempo de abrir mão dos direitos e entrar em contato com a santidade de Deus

O ministrante da manhã, o bispo Roberto Marques, iniciou a preleção abençoando e determinando vitórias na vida da Igreja e lendo Josué 3:5 “Disse Josué também ao povo: Santificai-vos, porque amanhã fará o SENHOR maravilhas no meio de vós , explicou que esse nome significa “Deus é salvação”. Quando santificamos nossa vida, estamos nos separando para Deus. Antes de consagrarmos nossa vida a Deus devemos nos santificar, porque Deus não aceita o que é impuro, contaminado, afirmou o bispo.
Santificação é condição para a consagração. Quantas vezes nos aproximamos da promessa e não a gozamos. Chegamos perto e até contemplamos, mas ela nos escapa das mãos, não a desfrutamos, ponderou o ministrante, explicando que os dias estão correndo rapidamente, todas as coisas estão aceleradas. E aqueles que se santificam se santificarão mais, pois santidade é um processo. Aquele que peca está pesando mais, aquele que se santifica se santifica mais, a iniqüidade está num crescendo, porque tudo está caminhando para sermos retirados dessa terra. A santificação é se apartar do mal, das coisas terrenas, das concupiscências, da vontade da carne. É fazer como Daniel. É preciso determinação. Não há como se santificar, sem determinação para isso. Daniel foi um exemplo de determinação, explicou o bispo, pois ele foi levado para uma terra totalmente iníqua, mas ele determinou a si mesmo a não se contaminar. Você tem feito isso?
Santidade é um projeto de vida, é uma constante. Uma vida em santidade é um viver, não são momentos, mas um estilo de vida. Como está o seu estilo de vida? Vir à Igreja não significa que você é santo. Nem todos que vêm à Igreja são de Deus, têm sua vida consagrada a Deus. Muitos se contaminam com o mundo e fazem o que o mundo oferece. Mas aquele que determina a si mesmo se santificar a Deus enfrentará obstáculos. Sua presença incomoda ao mundo, mas a quem você quer obedecer: a Deus, ou ao mundo?
Pedro e João estavam anunciando Jesus e foram presos, e chicoteados. O mundo não perde a oportunidade de nos chicotear, mesmo sendo inocentes. Pedro e João foram exortados a não mais falarem de Jesus, entretanto não desistiram de sua decisão. O espírito do mundo milita contra tudo que se chega a Deus.
O povo que saiu do Egito foi liberto, mas estava contaminado, lembrou o ministrante, explicando que é fácil tirar o povo do Egito, difícil é tirar o Egito do povo. Isso quer dizer que é fácil tirar o povo do mundo, mas tirar o mundo de dentro das pessoas é difícil. As maravilhas acontecem na vida daqueles que se santificam. A primeira maravilha em nossa vida é a libertação, o resgate do mundo, a salvação. É sair do deserto, da escravidão do pecado e entrar na terra prometida. Faça um marco e celebre isso: Jesus pagou o preço de sua salvação. Nada se compara a isso.
Quantas vezes você foi humilhado pelo príncipe deste mundo, mas agora você é livre e recebe o maná todos os dias. Mas nós somos eternos insatisfeitos, assim como o povo que saiu do Egito, começamos a endurecer nosso coração e não nos curvamos na presença de Deus. Quando o ser humano age com inconstância, ora é grato, ora ingrato. Amaldiçoa e abençoa com a mesma boca.
Josué chamou o povo à santidade, levou o povo a Gilgal, até ser sarado. O que na sua vida precisa ser cortado? Ninguém pode conquistar nada sem antes estar sarado. Tirar o pecado deixa feridas. Você precisa ser curado, afirmou o bispo. Não se pode conquistar Jericó sem antes estar sarado. Muitos querem ver as muralhas de sua vida sendo derrubadas, mas antes precisam ficar em Gilgal até serem curados. Curar das vergonhas, das humilhações, porque Gilgal é o início da conquista. Explicou. Josué levou o povo a celebrar a sua salvação, você tem feito isso? Você tem se permitido a libertação, a cura, antes da conquista? Ter não fazer diferença em sua vida se você não for. Jesus não quer que você tenha, mas que você seja, reiterou o ministrante, assegurando que ter é uma conseqüência do ser. Hoje se prega que é preciso ter para ser, enquanto o contrário é que deve prevalecer.
Maná é para o povo que ainda não foi curado. Mas quando o maná cessa é porque Deus vai cumprir a promessa em sua vida. Josué vê a primeira conquista, mas ela estava fechada. Quantas coisas estão fechadas em sua vida, perguntou o bispo, lembrando que o príncipe desse mundo fecha as conquistas, quando não entramos na posse. A primeira coisa que impediu o povo de entrar na terra foi o sentimento de inferioridade. Isso também acontece na vida de pessoas que se sentem assim. Você precisa ser curado para conquistar, reiterou o bispo. Não adianta ir para a conquista, se você está enfermo, se não está liberto. Mas quando o povo cura o seu povo, ele está pronto para a conquista. Josué conclama o povo a levantar os olhos. O povo de Deus anda de cabeça erguida.
Tirar os sapatos é abrir mão de direitos, você verá isso quando Deus se mostra a Moisés e diz a ele para tirar as sandálias. Quando você tira os sapatos você não só abre mão dos direitos, mas entra em contato com a santidade de Deus. Abre mão de direitos que na verdade não tem e entra em contato com Deus. Quem tira as sandálias para entrar em lugar santo, você se coloca na polaridade de Deus, como um ímã que atrai a Sua presença. Quantas vezes chegamos diante de Deus com arrogância, exigindo direitos, mas Josué tirou as sandálias e lhe deu a estratégia da conquistas. Não precisou fazer absolutamente nada, assim como você também não precisa fazer nada, porque quem está no controle e vai escancarar a cidade é Deus. Basta se santificar e esperar. Deus gosta de provar a perseverança. Tudo no início é bom, tudo é fácil. Na conquista de Jericó isso ficou claro: nada aconteceu nos primeiros dias. Mas Deus abre o que está fechado para você, se perseverar. Deus vai quebrar os ferrolhos, na plenitude do tempo Deus vai abrir e você entrará. Jericó é a primeira conquista, as outras se seguiram e o povo tocou as trombetas para anunciar a vitória. Tocar a trombeta antes é sinal de fé. o povo tocou as trombetas e deram um grito de júbilo. Santidade leva a conquistas grandes, mas para isso abra mão de seus direitos, do que você acha que é seu de direito. Enquanto você achar que merece algo, você não terá nada, mas quando abre mão de seus direitos, você conquista o as promessas de Deus, depois de entrar em contato com Sua santidade, garantiu o ministrante, orando pela Igreja.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Culto da Vitória de 08-10-10



É tempo de colocar a confiança em Deus e não no próprio coração

O ministrante da noite, o bispo Roberto Marques, iniciou a preleção afirmando que somos o que declaramos e que, se somos vencedores, se sabemos disso, também precisamos declarar, disse abrindo com a Igreja o texto de Jeremias 17: 5-11:
5 Assim diz o SENHOR: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do SENHOR!
6 Porque será como a tamargueira no deserto, e não verá quando vem o bem; antes morará nos lugares secos do deserto, na terra salgada e inabitável.
7 Bendito o homem que confia no SENHOR, e cuja confiança é o SENHOR.
8 Porque será como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro, e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e no ano de sequidão não se afadiga, nem deixa de dar fruto.
9 Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?
10 Eu, o SENHOR, esquadrinho o coração e provo os rins; e isto para dar a cada um segundo os seus caminhos e segundo o fruto das suas ações.
11 Como a perdiz, que choca ovos que não pós, assim é aquele que ajunta riquezas, mas não retamente; no meio de seus dias as deixará, e no seu fim será um insensato.

A primeira parte é uma afirmação de Deus e ela se refere ao homem. E Deus quer dizer que maldito é o homem que confia em si mesmo, que se afasta de Deus e Dele se aparta. O seu destino é ficar só. Aquele que se acha auto suficiente, que pensa que sabe tudo e que não precisa ouvir ninguém, seu destino é ficar solitário. Mas não pode se lamentar depois, como se estivesse sido abandonado. Na verdade foi ele que se isolou. Quando se aparta de Deus, ele se aparta das outras pessoas. Se não há acordo, como andarão dois juntos? Pode observar que pessoas que se acham auto suficientes, que não ouvem os conselhos dos outros, acabam por se isolar porque não encontram entendimento. Mas quem não se acha auto suficiente confia nos outros homens, por que o homem nasceu para viver em grupo. O conceito de Deus é para aqueles que se afastam. Para aquelas pessoas amargas, sempre solitárias e ranhetas que afastam as pessoas e não aceitam ajuda, por não sabem ouvir. Ela perde a capacidade de ver o lado positivo das coisas, só veem o mal. Em geral são pessoas que confiam em si mesmas , em seu próprio julgamento e se afastaram de tudo e de todos e menosprezaram o poder de Deus. Esse é maldito, afirmou o pastor, explicando que escolhemos a bênção ou a maldição com as nossas atitudes. Ninguém pode amaldiçoar você. É você quem escolhe, disse citando o livro de Provérbios: vida e morte, bênção e maldição. Deus fala isso para as pessoas que são auto suficientes aos seus próprios olhos, pois a tendência dessas pessoas é ficar só, porque só veem o mal. Isso é um alerta que Deus nos faz. Você precisa de Deus, assegurou o bispo, insistindo que nós também precisamos uns dos outros e não podemos abrir mão dessa convivência. Quem confia em sua própria capacidade será solitário, mas aquele que confia no Senhor é bendito. O bispo lembrou que assim como está dito nos salmos 1, o profeta fala que o homem que confia no Senhor é como arvore plantada junto ao ribeiro é sempre firme. Uma árvore plantada não nasceu ao acaso, por isso está sempre em crescimento. Ela é cuidada pelo que plantou. Assim é Deus. Aqueles que colocam Nele a sua esperança é cuidado por Ele. Deus planejou toda a sua vida. Ele plantou você e tem cuidado de você, como uma árvore. Quando você lança um galho errado Ele corta, porque sabe que esse galho não é bom para você. ele quer que você cresça saudável, por isso Ele poda o que está em desvio. Ele quer que você cresça para o alto. Nós somos cuidados por Deus, não pela sorte. Aquele que confia em Deus não fica preocupado com as intempéries, porque estende suas raízes para o ribeiro. Quem está plantado junto ao ribeiro não precisa se preocupar se terá recursos para pagar as contas. Quem está em Deus não se preocupa. Ele sempre agradece, porque Deus sempre proverá.
O ministrante lembrou que existimos no presente, mas o diabo nos quer no passado, ou no futuro. Quem está com suas raízes lançadas sobre as águas não se preocupa, ainda que passe por dificuldades. Todos estão sujeitos a passar pela escassez. A diferença é que aquele que está em Deus confia e coloca sua esperança no Senhor, apesar das lutas. Mesmo no tempo de escassez ele frutifica e não deixa de dar os seus frutos na seca. Esse é um conceito que Deus passa a respeito daqueles que confiam Nele.
Outro conceito é sobre o sentimento: enganoso é o coração do homem. Essa história de quem vive em sentimento é enganação. Você não pode ter o seu coração como bússola. Ele não pode ditar os seus caminhos. Seus passos devem ser guiados pela palavra, não pelo seu coração. O coração do homem foi corrompido por um vírus chamado pecado. Nele não se pode confiar, reiterou. Você tem que saber o que a palavra de Deus diz.
Atente para o alerta de Deus: só Deus conhece o coração do homem. Ele sabe de nossas transgressões, de nossos pecados ocultos. Se você pensa que ninguém viu, engana-se: Deus viu, porque esquadrinha os corações. E outro conceito: cuida do que é seu. Cuide de sua vida, ensinou o bispo. Quem choca ovos que não são seus, fica sem eles. É o que acontece com a perdiz que choca os ovos alheios. Cuide do que é seu, não deseje o que é do outro. O que for seu multiplica-se, enquanto o que é do outro vai se embora,a firmou o bispo, agradecendo a Deus por esses conceitos que são preceitos para as nossas vidas.